PUBLICIDADE
Topo

Santos

Santos soma quase R$ 100 milhões em dívidas por contratações de jogadores

José Carlos Peres, presidente do Santos - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
José Carlos Peres, presidente do Santos Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

08/08/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Santos deve quase R$ 100 milhões a clubes por contratações de jogadores
  • Três cobranças estão na FIFA e uma delas pode impedir o Peixe de contratar por três janelas
  • Outro caso na FIFA é o de Cueva, que envolve Santos, Krasnodar (RUS) e Pachuca (MEX). O Peixe não pagou a primeira parcela pelo peruano
  • O Santos já está proibido de registrar novos jogadores por causa da dívida com o Hamburgo (ALE) pela contratação de Cléber Reis

A missão de tirar as contas do Santos do negativo parece cada dia mais difícil. Além dos direitos de imagem atrasados e do corte salarial de 70% durante o período de paralisação do futebol causada pela pandemia do novo coronavírus, o Peixe ainda tem dívidas na casa dos R$ 100 milhões (na cotação atual) por contratações de jogadores.

Atualmente, são cinco dívidas com clubes, sendo que três cobram o Alvinegro Praiano diretamente na Fifa. Já o caso de Christian Cueva, também entregue à entidade máxima do futebol, não trata apenas da obrigação financeira, pois também engloba o Pachuca (MEX), atual clube do meia peruano.

Em valores, Cueva lidera: o Peixe deve ao Krasnodar (RUS) R$ 33 milhões. O valor original é de US$ 6,3 milhões, após o São Paulo abdicar dos US$ 700 mil a que tinha direito na negociação por Vitor Bueno, divididos em três parcelas anuais. A primeira venceu em março e não foi paga.

O caso de Cueva está na Fifa após o atleta sumir dos treinamentos no CT Rei Pelé. Dias depois, ele assinou com o Pachuca (MEX) sem autorização do Santos. O clube paulista acionou na Fifa os mexicanos, pela contratação, e o próprio jogador, por abandono de trabalho. A entidade reconheceu o direito santista a pedir uma indenização, mas não julgou o caso ainda.

O segundo da lista é o zagueiro Cléber Reis. Contratado junto ao Hamburgo (ALE), em 2017, o defensor foi um fracasso na Vila Belmiro. O Peixe deve atualmente R$ 28 milhões pelo negócio. O Peixe acordou um pagamento de 2,5 milhões de euros pelo atleta na época, mas não acertou o valor, que já está em 4,5 milhões de euros com juros e multa. Por conta desta dívida, o Santos está atualmente proibido de contratar.

Yeferson Soteldo completa o pódio das dívidas mais altas. O venezuelano foi contratado no início do ano passado junto ao Huachipato com pagamento parcelado, mas o Peixe, segundo o advogado do clube chileno, não efetuou nenhum pagamento. A dívida está em R$ 18 milhões (US$ 3,4 milhões ) e o time chileno acionou a Fifa, que pode punir o Santos com a proibição de contratar atletas por três janelas de transferência.

O único caso que não está na Fifa é o de Eduardo Sasha. O Peixe acertou a compra de 50% dos direitos econômicos do atacante no início desta temporada de forma parcelada. Porém, o clube da Vila Belmiro atrasou três parcelas, e o Internacional avaliava levar o caso à Justiça. No entanto, o recente interesse em Yuri Alberto fez os clubes conversarem e chegarem a um acordo para o reparcelamento da dívida, que ficou para 2021.

Fechando a lista, aparece o colombiano Felipe Aguilar, vendido recentemente por R$ 10 milhões para o Athletico-PR. O Peixe comprou os direitos econômicos do jogador por US$ 1,1 milhão em três parcelas, mas só pagou a primeira. O Atlético Nacional (COL), seu ex-clube, cobra R$ 4,1 milhões (US$ 774 mil) na Fifa.

Somados, os valores chegam a R$ 96,5 milhões.

Veja quanto o Santos deve pela contratação de cada jogador na cotação atual:

Cueva: R$ 33,4 milhões (US$ 6,3 mi)

Cléber Reis: R$ 28,4 milhões (4,5 mi de euros)

Soteldo: R$ 18 milhões (US$ 3,4 mi, referente a 50%)

Eduardo Sasha: R$ 12,6 milhões (2 mi de euros, referente a 50%)

Felipe Aguilar: R$ 4,1 milhões (US$ 774 mil)

Santos