PUBLICIDADE
Topo

CBF bloqueia Santos de contratar por dívida com Hamburgo por Cléber

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

06/03/2020 13h46

O Santos está bloqueado de registrar novos jogadores na CBF por conta de uma dívida com o clube alemão Hamburgo referente à compra dos direitos do zagueiro Cléber. A operação aconteceu em 2016 na gestão anterior de Modesto Roma Jr. A diretoria do Santos está negociando o time alemão para tentar parcelar a dívida, o que é necessário para resolver o bloqueio.

O bloqueio foi determinado pela Fifa em processo disciplinar movido pelo Hamburgo contra o Santos pela dívida. A CBF bloqueou qualquer registro de jogador pelo Santos, seja de jogador vindo do Brasil ou de fora. O time só pode vender. Uma info inicial aponta 4 milhões de euros de débito, o que daria mais de R$ 20 milhões.

"Estamos negociando com o Hamburgo há 90 dias, e neste processo há 2 anos. Dívida do jogador Cleber Reis contraída pela gestão Modesto Roma", afirmou o presidente do Santos, José Carlos Peres ao blog.

O processo já teve todos as instâncias concluídas e chegou na fase final de cobrança. O Santos vinha tentando evitar o bloqueio com o acordo com o Hamburgo.

O problema é que a gestão de Modesto Roma Jr tinha feito dois acordos com o Hamburgo para quitar a dívida, e ambos foram descumprimos pelo clube. Assim, o time alemão não aceitava um novo cronograma de pagamentos. Exigia o pagamento de pelo menos uma parte à vista, o que era difícil pela situação financeira do clube. Já a ideia santista era parcelar com pagamentos mensais.

A diretoria do Santos, no entanto, continua tentado o acordo com os alemães.

Blog do Rodrigo Mattos