PUBLICIDADE
Topo

Red Bull se estabelece, incomoda rivais em SP e vira alvo de "alfinetada"

Artur, do Red Bull Bragantino, comemora gol contra o São Paulo - Ari Ferreira
Artur, do Red Bull Bragantino, comemora gol contra o São Paulo Imagem: Ari Ferreira

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

28/07/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Red Bull Bragantino vive um momento de consolidação do novo formato. Depois de iniciar a temporada com três tropeços consecutivos, o time se estabilizou e terminou a primeira fase do Campeonato Paulista como líder geral. O sucesso incomoda até os gigantes do Estado, como São Paulo e Corinthians. Fernando Diniz, treinador do Tricolor, chegou a alfinetar o adversário após a derrota no meio de semana da passada, enquanto Tiago Nunes coloca o favoritismo no adversários das quartas de final, que será disputada com jogo único.

Com sete vitórias, dois empates e três derrotas em 12 rodadas, a equipe comandada por Felipe Conceição teve a melhor campanha da primeira fase do Paulistão. Embalado com os 23 pontos conquistados, o time faz jus ao investimento feito pela cúpula no mercado da bola e colhe frutos no Estadual.

O orçamento de 2020 previa uma receita de R$ 200 milhões, o que permitiu investimentos elevados na busca por reforços. Foram pagos R$ 25 milhões ao Palmeiras pela contratação do atacante Artur. O goleiro Cleiton deixou o Atlético-MG para defender a equipe de Bragança Paulista por R$ 24,7 milhões. Somados os gastos apenas de janeiro, o Red Bull Bragantino ficou na lista dos dez clubes do mundo que mais investiram em reforços — foram gastos 12,9 milhões de euros (R$ 78,080 milhões atualmente).

Jogadores do Red Bull Bragantino comemoram gol contra o São Paulo - Divulgação/Federação Paulista de Futebol - Divulgação/Federação Paulista de Futebol
Jogadores do Red Bull Bragantino comemoram gol contra o São Paulo nos 3 a 2 de semana passada
Imagem: Divulgação/Federação Paulista de Futebol

Mesmo com o poderio financeiro, o início foi conturbado. A saída de Antônio Carlos Zago, então técnico do time, para o Japão transformou o que parecia promissor em duvidoso nas primeiras rodadas. O Red Bull tropeçou contra Santos, Inter de Limeira e Novorizontino no início do Paulistão. A primeira vitória veio diante do Palmeiras, já com Felipe Conceição no banco de reservas.

Com a promessa de que teria tempo para trabalhar, o treinador conseguiu resultados mais rápido que se imaginava. Em março passado, engatou uma sequência de três vitórias consecutivas — diante de Ituano, Ponte Preta e Água Santa. O bom momento foi interrompido pela paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus. Porém, no retorno do esporte, o desempenho foi mantido, e a equipe obteve dois triunfos seguidos — sobre São Paulo e Botafogo-SP.

O aproveitamento perfeito culminou em alfinetada de Fernando Diniz, sobretudo por causa da vitória sobre o Tricolor, na última quinta-feira (23), em pleno Morumbi. O treinador tricolor lembrou da polêmica antes da retomada do Estadual, em que o Red Bull começou a treinar antes que seus adversários e ainda sem a liberação oficial da Federação Paulista, em meio à paralisação imposta pela pandemia do coronavírus.

"Hoje a equipe foi muito intensa, temos algumas falhas defensivas que esse time apresentou, treinamos muito pouco a parte tática. Quinta-feira foram só três bolas no gol, aquele time [que perdeu para o Red Bull Bragantino] não falhou tanto defensivamente. Nós fomos um time que cumpriu completamente o protocolo da Federação Paulista de Futebol, não sei se todos times cumpriram, às vezes dá impressão que não", insinuou o treinador em entrevista à TV Globo.

O questionamento é em referência ao Red Bull Bragantino. O time de Bragança criou um mal-estar em junho, durante a reta final da paralisação do Paulistão por conta da pandemia do novo coronavírus. À época, havia indefinição de quando seria possível voltar com a competição e o clube obteve uma liberação das autoridades municipais para retomar as atividades antecipadamente. Diante da insatisfação de outros clubes, a Federação Paulista de Futebol (FPF) advertiu o time, que parou com os treinos e aguardou o retorno coletivo.

Ytalo, do Red Bull Bragantino, é o artilheiro do Campeonato Paulista 2020 - Rebeca Reis/AGIF - Rebeca Reis/AGIF
Ytalo, do Red Bull Bragantino, é o artilheiro do Campeonato Paulista 2020
Imagem: Rebeca Reis/AGIF

A pressão sobre o Bragantino não se restringe à alfinetada de Diniz. Há também a declaração de Tiago Nunes, que coloca o favoritismo sobre a equipe do interior no jogo das quartas de final contra o Corinthians.

"O Corinthians é sempre uma equipe tradicional, forte, que tem que ser respeitada. Mas, ao mesmo tempo, a gente sabe que em nenhum momento fomos colocados como uma equipe postulante ao título, ainda mais depois das primeiras rodadas, com uma campanha em que a gente oscilou muito em alguns jogos. A gente entra nas quartas como entramos nesse momento. Como uma das equipes que se classificou por último, que está chegando agora. O favoritismo é do nosso próximo adversário, o Red Bull Bragantino. Vamos como franco-atiradores para o que temos pela frente", declarou.

O Corinthians terminou a primeira fase do Paulistão com 17 pontos e na segunda colocação do Grupo D. Curiosamente, o Red Bull Bragantino estava na mesma chave do adversário e ficou com 23 pontos conquistados.

Futebol