PUBLICIDADE
Topo

Santos se vê mais próximo de Neymar, mas distante de desfecho de processo

Neymar comemora vitória do PSG sobre o Reims pela Copa da Liga francesa - FRANCK FIFE / AFP
Neymar comemora vitória do PSG sobre o Reims pela Copa da Liga francesa Imagem: FRANCK FIFE / AFP

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

26/05/2020 04h00

Há sete anos, em 26 de maio de 2013, Neymar se despedia do Santos em duelo contra o Flamengo. O Peixe havia anunciado a venda do atleta ao Barcelona por 17 milhões de euros. Nesse período, o Peixe já processou o atacante e os catalães e viu o ídolo se afastar do clube, deixando até de parabenizar a equipe em aniversários. Nos últimos anos, porém, Neymar se reaproximou, mas o processo segue na Justiça.

Uma série de eventos revelou que a transação Santos-Neymar-Barcelona movimentou um valor muito maior do que foi pago ao Peixe. Querendo sua parte do total, o clube entrou na Justiça contra o ídolo e contra o clube espanhol ainda na gestão do ex-presidente Modesto Roma Júnior, atitude condenada pelo atual mandatário, José Carlos Peres.

"Nós temos uma pendência e eu fico muito aborrecido com isso, mas o Modesto Roma, que foi a última gestão, processou o Neymar e o Barcelona. Poderia processar, como estamos processando com razão, o time do Barcelona. Aquela transação foi estranha, teve um monte de coisas e a gente está pedindo uma indenização lá. Mas eu estou louco para terminar esse processo, bem ou mal, porque o Neymar tem que estar com o Santos, a torcida às vezes é ressentida. 'O Neymar virou a cara', não, o Neymar nunca virou a cara para o Santos, o Neymar é apaixonado pelo Santos", disse o presidente santista em entrevista ao programa Os Canalhas.

Mesmo sem ter "virado a cara", segundo Peres, Neymar deixou de seguir o clube nas redes sociais e se recusou a parabenizar o Santos pelo aniversário em 2017, chegando a dizer que não tinha "obrigação nenhuma" de felicitar o clube que o revelou para o mundo.

O processo movido pelo Peixe, segundo especialistas ouvidos pelo UOL Esporte, tem pouca chance de sucesso. O clube da Vila Belmiro pleiteia uma fatia maior na transação. O Santos detinha 60% dos direitos econômicos do jogador e negociou sua parte por 17 milhões de euros, mas ficou sabendo posteriormente que a empresa do pai do jogador havia levado 40 milhões de euros na transferência.

"O Santos aceitou a proposta do Barcelona pelos direitos econômicos do jogador. Portanto, os direitos econômicos foram negociados por cerca de 17 milhões de euros. O Neymar, já liberado pelo clube, tem direito de negociar as formas de contrato com os catalães da forma que ele quiser. Então, se ele recebesse 10 ou 100 milhões de euros de luvas, isso não caberia ao Santos, pois o clube aceitou a proposta de 17 milhões de euros pelos direitos econômicos. A princípio, os argumentos do Santos não são fortes para obter êxito no que eles estão pedindo", opinou o advogado Vinicius Loureiro ao blog "Lei em Campo", do UOL Esporte.

O Peixe já sofreu uma derrota no processo na Fifa, mas recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), onde o processo se encontra neste momento. Em sua defesa, na época, o Peixe afirmou que foi enganado na transferência.

Com a mudança de gestão, o Santos avançou na reaproximação com o ídolo. No ano passado, Neymar voltou a seguir o clube nas redes sociais, após a publicação de um vídeo da Santos TV que lançava o uniforme três do clube, com a campanha "#TimeDeBrancoEDePreto", na qual Neymar era personagem em um dos vídeos.

Neste ano, o ídolo gravou um vídeo especial para o clube desejando feliz aniversário e se dizendo "completamente apaixonado" pelo Peixe.

Durante a turbulência na relação entre Santos e Neymar, o Menino da Vila chegou a afirmar que era palmeirense na infância, deixando em aberto a possibilidade de jogar pelo Alviverde no futuro. O camisa 10 da seleção brasileira também disse que tem vontade de jogar pelo Flamengo.

Santos