PUBLICIDADE
Topo

Santos

O que mantém Sánchez no Santos diante de tantas propostas para sair

Pepe e Mengálvio "abençoam" Carlos Sanchez, do Santos - Reprodução/Twitter
Pepe e Mengálvio "abençoam" Carlos Sanchez, do Santos Imagem: Reprodução/Twitter

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

25/05/2020 04h00

Aos 35 anos, o uruguaio Carlos Sánchez é um dos jogadores do Santos mais assediados no mercado da bola, principalmente por rivais brasileiros. O Peixe vive crise financeira, mas nunca pensou em se desfazer do meia que já despertou interesse do Palmeiras, Grêmio e Atlético-MG.

Sánchez também nunca fez força para o deixar o clube, mas sim para resolver problemas que surgiram e seguir vestindo a camisa 7 do Peixe. O clube atrasou pagamento de luvas no começo do ano, mas chegou a um acordo com o atleta.

Forçar uma saída não faz o perfil do uruguaio ao longo da carreira. Ele começou no Liverpool de Montevidéu e passou sete temporadas no clube uruguaio. Se transferiu para o Godoy Cruz e atuou dois anos na equipe antes de chamar atenção do River Plate. Foram cinco anos na equipe onde despontou para o mundo, sendo um deles emprestado ao Puebla (MEX).

Sánchez, então, se transferiu para o Monterrey (MEX), onde jogou por três temporadas antes de acertar com o Santos, na metade de 2018. No clube da Vila Belmiro o atleta teve impacto imediato e já caiu nas graças da torcida. O uruguaio se adaptou rapidamente à cidade, assim como sua família, e não são raras as postagens do atleta realizando churrascos em sua casa, muitas vezes com a presença de companheiros do Peixe.

Líder dentro e fora de campo, o uruguaio ganhou a braçadeira de capitão pela primeira vez no ano passado e não escondeu a emoção: Sánchez nunca havia sido capitão na carreira. O meia teve sua temporada mais artilheira da vida no último ano, anotando 19 gols e ficando muito perto de se tornar o maior artilheiro estrangeiro da história do clube.

O uruguaio sabe que poderia ganhar um salário maior se saísse do Peixe para algum dos rivais interessados, que vivem situação financeira melhor, mas opta pela tranquilidade de seguir no clube onde já está adaptado e é importante dentro de campo.

Na questão salarial, Sánchez ficava fora do top-8 do clube no ano passado. No entanto, com várias saídas nesta temporada, os vencimentos do uruguaio agora estão entre os três maiores do elenco.

Santos