PUBLICIDADE
Topo

Funcionários de CT do Vasco se escondem de tiroteio na Cidade de Deus

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/05/2020 18h15

Funcionários que trabalham na obra do centro de treinamento do Vasco, que está sendo construído em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, passaram por momentos de apuros hoje (25). Um intenso tiroteio ocorreu na comunidade Cidade de Deus, que é vizinha ao local, e os trabalhadores precisaram se refugiar agachados no muro do terreno.

No momento da troca de tiros, policiais militares acompanhavam uma ação do Instituto Estadual do Ambiente (INEA) no CT. A corporação nega que os agentes tenham feito disparos, que ocasionaram em uma jovem baleada na cabeça.

Bianca Regina de Oliveira, de 22 anos, foi socorrida na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Cidade de Deus e depois foi transferida para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul do Rio. Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado informou que, de acordo com a primeira avaliação dos médicos da UPA, o estado de saúde da jovem é estável.

Vasco tenta estreitar laços com comunidade

Desde o início das obras, o Vasco tem buscado estreitar os laços com os moradores da Cidade de Deus com ações e diálogo. Durante a pandemia do coronavírus, por exemplo, o clube doou cestas básicas com a presença do presidente Alexandre Campello.

Para iniciar a construção, a Prefeitura precisou cadastrar cerca de 500 pessoas que moravam no terreno e incluí-las em um programa social de benefício financeiro mensal até que as mesmas sejam realocadas para uma moradia fixa concedida pelo órgão.

Flu já passou pela mesma situação

Bem próximo ao futuro CT do Vasco se encontra o centro de treinamento do Fluminense, que também já passou pela mesma tensão de tiroteio na comunidade, chegando ao ponto de interferir em treinamentos.

O CT cruzmaltino tem previsão de ficar pronto em julho e contou, em grande parte, com doações financeiras dos próprios torcedores através de uma vaquinha online (crowdfunding).

Vasco