PUBLICIDADE
Topo

Melhor ou pior? Veja 1 a 11 do Botafogo há 10 anos e compare com time atual

Loco Abreu, do Botafogo, comemora gol sobre o Flamengo na final da Taça Guanabara de 2010 - Fernando Soutello/AGIF
Loco Abreu, do Botafogo, comemora gol sobre o Flamengo na final da Taça Guanabara de 2010 Imagem: Fernando Soutello/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/05/2020 04h00

O começo de temporada em 2020 do Botafogo aponta algumas semelhanças com aquela que começou há 10 anos. A briga contra o rebaixamento no Brasileiro na edição anterior, um goleiro candidato a ídolo, um "gringo" experiente para ser o nome do time, troca de técnico nas primeiras semanas e questões financeiras em pauta.

Em 2010, o Glorioso começou o ano tentando esquecer a campanha anterior, quando escapou do rebaixamento na última rodada, contra o Palmeiras, em jogo no qual Jobson foi o destaque. Para isso, contou com o retorno de Jefferson, que mais tarde entraria para a história do clube, e a chegada do uruguaio Loco Abreu, que imediatamente virou xodó.

Depois de um começo irregular e uma goleada para o Vasco, a diretoria trocou Estevam Soares por Joel Santana, um velho conhecido e que permaneceu até o fim da temporada.

O time acabou como campeão do Carioca, em título até hoje lembrado. Na Copa do Brasil, foi eliminado na segunda fase, pelo Santa Cruz, mas a campanha no Brasileiro foi boa e ficou na sexta colocação. Por pouco, não conseguiu uma vaga na Libertadores do ano seguinte.

Àquela altura, o clube sofria os reflexos de uma crise financeira que o fez perder peças do elenco em anos anteriores. A equipe base era formada por Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Marcelo Cordeiro; Leandro Guerreiro, Túlio, Lúcio Flávio e Renato Cajá; Herrera e Loco Abreu.

Em 2020, o ano começou depois de a equipe viver altos e baixos e ver a ameaça de rebaixamento até bem próximo do fim do Brasileiro. Hoje, pode-se apontar o time base como: Gatito Fernandez; Fernando, Kanu, Marcelo Benevenuto, e Danilo Barcelos; Caio Alexandre, Alex Santana, Honda e Bruno Nazário; Luis Henrique e Pedro Raúl.

No clube desde 2016, Gatito vem sendo nome importante em General Severiano e já caiu nas graças da torcida. Honda, que, por enquanto, só fez a estreia, contra o Bangu, pelo Carioca, é postulante a novo xodó. Na chegada do meia japonês, a torcida fez grande festa.

Após início ruim, o técnico Alberto Valentim foi demitido e Paulo Autuori, treinador campeão do Brasileiro em 1995, retornou para ocupar a vaga. Nos bastidores, caminha o projeto para transformar o departamento de futebol em S/A, o que poderia colocar um novo cenário financeiro no clube.

Botafogo