PUBLICIDADE
Topo

Autuori quer Botafogo protagonista, mas diz: 'Não dá pra vender ilusões'

Paulo Autuori, técnico do Botafogo, analisa opções no elenco e busca melhor esquema para time - Vítor Silva/Botafogo
Paulo Autuori, técnico do Botafogo, analisa opções no elenco e busca melhor esquema para time Imagem: Vítor Silva/Botafogo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/05/2020 23h25

O treinador do Botafogo Paulo Autuori declarou que o clube não vive um momento condizente com sua história. O técnico, que evita se apegar às glórias do passado - ele comandou o time no título brasileiro de 1995 - quer ajudar a equipe a retomar um papel de protagonismo no futebol brasileiro.

"A minha personalidade não me permite ficar vivendo daquilo que já passou. É história, está no clube, ótimo. Mas temos que trabalhar para colocar o Botafogo em condições de pensar em ter vitórias como a de 1995. E o Botafogo é um gigante, é reconhecido no mundo do futebol. Todos sabem o quanto o clube já contribuiu com a seleção brasileira, em quantidade e qualidade. Temos que trabalhar para ter uma realidade mais condizente com essa história. Não é fácil, não dá para vender ilusões. É um caminho árduo. É difícil, mas é possível, como outros clubes já fizeram. É um trabalho em conjunto do treinador e jogadores", declarou em entrevista ao Troca de Passes, do SporTV, hoje.

O treinador ainda criticou a falta de iniciativa da atual geração de jogadores e opinou que os treinadores têm assumido mais protagonismo do que é devido no jogo. Para Autuori, torcedores e atletas deveriam ter os holofotes.

"Acho que hoje falta muita iniciativa dos jogadores, eles ficam muito pendentes ao que os treinadores falam. E isso não é só culpa dos treinadores. Estão dando muito protagonismo ao treinador. Os verdadeiros protagonistas são os jogadores e os torcedores. Essa reciprocidade e paixão entre as partes é que faz com que a gente sinta falta do futebol", completou.

UOL Esporte vê TV