PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Velho e o novo': Montenegro e Mario 'resistem' contra Fla, Vasco e Ferj

Montengro e Mário lideram Botafogo e Fluminense na volta contra o futebol no Rio de Janeiro - Montagem UOL
Montengro e Mário lideram Botafogo e Fluminense na volta contra o futebol no Rio de Janeiro Imagem: Montagem UOL

Bernardo Gentile, Caio Blois e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/05/2020 04h00

Em meio à pandemia do novo coronavírus, Botafogo e Fluminense foram as vozes dissonantes entre os clubes do Rio de Janeiro que já planejam a volta aos treinamentos o quanto antes. Liderados por cartolas de gerações diferentes, ambos deram as mãos na luta contra a retomada precoce do futebol no Estado lideradas por Flamengo, Vasco e Ferj (Federação do Futebol do Rio de Janeiro).

Mario Bittencourt tem 41 anos e é uma das novas caras do futebol carioca, ainda que seja conhecido há anos no Rio de Janeiro por ter atuado como advogado e vice de futebol do Flu. O dirigente entrou ainda como estagiário no clube e a presidência sempre foi um sonho. Ante os problemas nas últimas gestões tricolores, venceu e começou a imprimir o seu estilo.

Detalhista e "workaholic", o tricolor fala somente quando julga necessário e cada palavra é colocada de maneira cirúrgica. Desde o início do racha, manteve postura firme sobre manter a calma com relação à retomada das atividades. Tanto que o Fluminense foi o primeiro clube a anunciar férias coletivas até o fim de abril — o Botafogo veio logo em seguida. O consenso foi construído com muita conversa entre Bittencourt e os líderes do elenco. E foi de maneira franca e direta que conseguiu atingir a concordância.

Carlos Augusto Montenegro, por outro lado, é uma figura para lá de conhecida no futebol brasileiro. Muitos dos seus 66 anos foram dedicados ao Botafogo, onde foi campeão brasileiro em 1955. É possível encontrar o cartola no WhatsApp, mas ele prefere uma boa e franca conversa em uma ligação telefônica.

O alvinegro sabe como desempenhar seu papel nesse jogo e não tem qualquer pudor de verbalizar o que passa pela sua cabeça. Apesar das claras diferenças, os dois estão do mesmo lado na luta contra Flamengo, Vasco e Ferj. Botafogo e Fluminense se recusaram a assinar a carta na qual expressam que desejam retomar as suas atividades e receberam elogios. Elogios? Montenegro entende que não fez nada mais que o básico.

"Impressionante a quantidade de parabéns que recebi das pessoas por fazer simplesmente o básico. Isso só prova o quão baixo é o nível do outro lado. Está se falando em lockdown no Rio de Janeiro. E os caras querendo voltar a treinar, Jogar bola? Choro vendo as notícias todos os dias e rio quando uns débeis mentais querem aparecer num momento como esse. Aparecer dessa forma idiota ainda por cima", disse.

A carta emitida por 14 dos 16 clubes da Série A do Rio só foi conhecida por Flu e Bota horas antes de sua divulgação. Como a Ferj sabia que dificilmente teria a anuência da dupla, o documento foi divulgado pouco tempo depois de Rubens Lopes, presidente da Ferj, ter confirmada a recusa.

Futebol