PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Jean conta dificuldades no Cruzeiro: 'Treinos com treze jogadores'

Volante Jean, em atuação pelo Cruzeiro - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Volante Jean, em atuação pelo Cruzeiro Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/04/2020 19h28

O meio-campista Jean, recém-chegado ao Cruzeiro, relatou uma série de dificuldades por que o clube passou no início da temporada. O jogador, conhecido por sua polivalência, acredita que o time ainda deve sofrer em 2020 por conta das grandes mudanças.

"O Cruzeiro passa por uma mudança muito grande. Dentro e fora de campo. Muitos jogadores saíram. Jogadores campeões, jogadores de muito nome. Teve um momento neste ano que eles estavam treinando com treze jogadores e teve gente da comissão técnica tendo que completar os trabalhos. E esse tipo de mudança é muito grande. E toda mudança exige um tempo de adaptação para as coisas poderem andar. E diante do calendário brasileiro, isso vai gerar algum sofrimento para o clube", declarou o jogador em entrevista ao Expediente Futebol, do Fox Sports.

Apesar de prever sofrimento, Jean acredita que a mescla entre jogadores experientes e jovens é uma boa receita para o time mineiro enfrentar os desafios da Série B.

"Tem muitos meninos talentosos no grupo, nem todos estão prontos, alguns precisam ser lapidados, talvez passar por um clube menor. Temos também alguns jogadores provados, experimentados. E com essa mescla, acho que é possível, sim, conseguirmos nosso objetivo, que é subir, voltar para a elite, de onde o Cruzeiro nunca deveria ter saído", complementou.

Lateral ou volante?

Conhecido durante toda a carreira por sua polivalência, Jean afirmou que gosta de oferecer diferentes possibilidades aos treinadores. No entanto, o jogador afirmou que se vê prioritariamente como um meio-campista.

"Eu me coloco no lugar do treinador e penso que todo técnico quer ter um jogador que faça mais de uma função. Então, acredito que é uma bênção eu poder desempenhar mais de uma função. Por outro lado, acredito que o jogador tem que ter uma identidade, tem que ter uma posição em que ele possa ser cobrado. E eu sempre deixei claro que minha posição é de meio-campista. [...] Ainda assim, foi como lateral-direito que eu cheguei à seleção e ganhei a Copa das Confederações. Enfim, estou sempre à disposição para cumprir a função necessária. Já joguei até de atacante pelos lados com o Felipão, no Palmeiras", declarou.

Melhor time em que jogou e melhor fase da carreira

Jean ainda fez um balanço sobre sua vitoriosa carreira, com passagens de sucesso por São Paulo, Fluminense e Palmeiras. O jogador afirmou que o São Paulo de 2008 foi o grupo mais especial em que jogou.

"Eu tive a felicidade de jogar por elencos muito bons, no São Paulo, no Fluminense, no Palmeiras. Fui campeão nesses lugares. Por toda a história que eu tenho no São Paulo, por ser o clube que alavancou a minha carreira, eu escolho o São Paulo de 2008 como o grupo mais especial do qual participei", avaliou.

O meio-campista de 33 anos acredita, no entanto, que viveu a melhor fase de sua carreira no Fluminense, em 2012. Campeão brasileiro naquele ano, o jogador foi chamado para a seleção brasileira, onde foi campeão do Superclássico das Américas (2012) e da Copa das Confederações (2013).

"Acredito que minha melhor versão foi no Fluminense, em 2012. Foi um ano em que eu participei de quase todas as partidas do título brasileiro. A importância que eu tinha para aquele time era grande. Foi a partir das minhas atuações no Fluminense que eu fui chamado para a seleção, também. Então, acredito que foi minha melhor fase", concluiu.

UOL Esporte vê TV