PUBLICIDADE
Topo

Diretor do Botafogo vê irresponsabilidade em retomar torneios e critica Fla

Carlos Augusto Montenegro discursa em reunião no conselho deliberativo do Botafogo -  Vitor Silva/Botafogo
Carlos Augusto Montenegro discursa em reunião no conselho deliberativo do Botafogo Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/04/2020 15h49

Presidente do comitê executivo do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro acredita que a discussão a respeito do retorno do futebol em meio à pandemia de coronavírus é absurda. Convidado do Fox Sports Rádio desta sexta-feira, o diretor defendeu que, neste momento, a vida humana deve ser prioridade.

Afirmando que o Botafogo só voltará aos treinos após autorização das autoridades de saúde, Montenegro criticou o rival Flamengo por, segundo ele, tentar acelerar o retorno do Campeonato Carioca.

"Eu acho que essa pandemia pegou todo mundo de surpresa. Realmente, ninguém sabe o final disso, e isso faz com que todo mundo fique agoniado, eu entendo essa parte, mas a única coisa que eu não entendo é a irresponsabilidade de tentar forçar um início. Eu sei que os clubes de menores investimentos deixaram de receber a última cota de televisão, têm contratos que iriam até abril. Mas eu acho que, numa hora que está preocupado, todo mundo confinado, querendo e torcendo para que a curva de mortes diminua, você ficar falando em reuniões de federações, de volta de futebol, eu acho um absurdo", defendeu o dirigente.

"O governador de São Paulo chega a ameaçar prisão se alguém sair, o do Rio quer botar um drone para tomar conta, para que não haja aglomerações. Como você fica preocupado com o campeonato de São Paulo ou do Rio? Você tem uma Olimpíada adiada, você tem torneios centenários cancelados, a NBA parada, a Fórmula 1 parada... Por que tem esse nervosismo para voltar o Campeonato Carioca ou o Campeonato Paulista? Eu não entendo a irresponsabilidade de pessoas chegarem a pensar nisso", completou.

Em relação Flamengo, Montenegro recordou o incêndio no Ninho do Urubu, que vitimou dez atletas das categorias de base do Rubro-negro, e pediu para o rival ser grande também fora das quatro linhas.

"O Flamengo viveu uma tragédia no ano passado com a morte de dez garotos no Ninho do Urubu. O Flamengo deveria ter pendido e nem colocar isso em debate. Nós estamos falando de vidas humanas. (...) Qual a diferença do universitário para um jogador? Acho que a gente não tem que pensar em protocolos nem nada", destacou o ex-presidente do Botafogo, que seguiu:

"O Flamengo, que está numa grande fase e viveu um grande drama no ano passado, devia ser o primeiro a se preocupar com isso, com a vida humana. Um time tem que ser grande não só dentro de campo, mas fora de campo também. Eu acho que, hoje em dia, é uma grandeza você estar preocupado com a saúde do brasileiro e não com a volta do futebol".

Por fim, Carlos Augusto garantiu que o Botafogo só voltará a treinar mediante autorização das autoridades de saúde:

"A gente só volta a treinar quando for autorizado pelas autoridades que cuidam da saúde no Brasil. Pode falara CBF, Fifa, federação, pode falar quem quiser, o Botafogo só vota a treinar quando for autorizado pelas autoridades que cuidam e conhecer o assunto saúde. Não vou arriscar ninguém. Eu acho isso criminoso", concluiu.

UOL Esporte vê TV