PUBLICIDADE
Topo

Carlos Alberto defende Brasileirão em turno único e retorno do mata-mata

O ex-jogador Carlos Alberto - Reprodução
O ex-jogador Carlos Alberto Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/04/2020 14h25

Classificação e Jogos

Com o futebol paralisado por tempo indeterminado por conta da pandemia de coronavírus, o ex-jogador Carlos Alberto acredita que o Campeonato Brasileiro precisará ser alterado. Convidado do Os Donos da Bola desta sexta-feira, o comentarista do Fox Sports sugeriu que a competição seja realizada em turno único e com mata-matas.

Já sobre uma possível adequação do calendário brasileiro ao europeu, Carlos Alberto acredita que o momento não é o ideal. No entanto, a alteração, segundo ele, seria 'ótima para todo mundo'.

"A minha opinião sobre um campeonato que nem começou ainda, que é o Brasileiro, seria fazer um turno único, pelo menos esse ano, e voltar o mata-mata. Se a gente entender que temos que temos que igualar com o campeonato europeu, ainda não vai ser neste momento, porque a gente vai sofrer muito. A gente tem que se preparar melhor para a gente igualar o nosso campeonato, que seria ótimo para todo mundo, para todo o cenário do futebol mundial", disse Carlos Alberto, que completou:

"Aproveitar esse coronavírus e tomar decisões. Às vezes, nos momentos de grandes crises é que surgem as grandes oportunidades. Só que as grandes oportunidades não podem estar nas mãos de oportunistas que só querem o bem-estar próprio".

Já sobre a redução de salários durante a paralisação do futebol, adotada por alguns clubes, o comentarista acredita que a medida é válida, mas fez ponderações. Além disso, segundo ele, as instituições que não pagam seus atletas em dia não têm direito de negociar uma redução salarial.

"Eu sou a favor de reduzir o salário de um cara que ganha muito mais. Agora, por exemplo, do funcionário, do porteiro, do garoto que está na base, isso não tem como. Na minha opinião, esses clubes tem que tomar vergonha na cara, porque clube que não paga em dia não tem direito de negociar nada. O cara não paga em dia e quer reduzir o quê?", questionou Carlos Alberto.

"E o que me impressiona desses dirigentes vírus, que eles estão usando o coronavírus, porque eles que são o vírus, tá? No quinto dia de pandemia, os caras já estão pensando em redução de salário de jogador. Aí é muito estranho. Eu vejo o Bayern de Munique falar em redução salarial, mas é um clube que está pagando em dia e cumprindo tudo, e os jogadores têm a consciência. Agora, no Brasil, cada um olha por si, e Deus por todos", completou.

UOL Esporte vê TV