PUBLICIDADE
Topo

Moreno recorda início do coronavírus na China e pede reforços ao Cruzeiro

Marcelo Moreno em entrevista do Cruzeiro na Toca da Raposa - Bruno Haddad/Cruzeiro
Marcelo Moreno em entrevista do Cruzeiro na Toca da Raposa Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/03/2020 13h06

Atualmente no Cruzeiro, o atacante Marcelo Moreno falou sobre sua experiência na China - onde a pandemia de coronavírus teve início - e alertou os brasileiros. Defendendo o Shijianzhuang Ever Bright antes de retornar ao time mineiro, o jogador contou, em entrevista ao Jogo Aberto, que teve amigos afetados pela covid-19, e pediu para o Brasil levar a doença a sério.

"É difícil falar das coisas que eu passei na China, são coisas muito fortes. Eu tenho que cuidar muito do que eu vou falar, porque eu presenciei muitas coisas lá, e também muitas histórias de vários companheiros e tradutores que eu tenho amizade até hoje. Tive amigos que tiveram problemas com esse vírus. São experiências que eu gostaria de passar para as pessoas que estão aqui no Brasil. Tem que levar a sério, tem que cuidar mesmo, não é brincadeira", destacou Marcelo, que seguiu:

"Quando aconteceu isso na China, foi um choque para todo mundo. Tinha gente que, do nada, conseguiu cair nas ruas, já estava com o vírus, e as coisas começaram a ser desse jeito. A vida de todo mundo está em risco, e a gente tem que se cuidar. Se tem que ficar em casa, vamos ficar em casa. É difícil para o atleta ficar em casa, não tem muito espaço para poder treinar. Obviamente, eu não quero assustar ninguém com o que eu vi lá, mas acredito que a união de todos vai ser o mais importante neste momento".

Já sobre o Cruzeiro, Moreno disse compreender o atual momento do clube, que, este ano, disputará a Série B do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, o atacante pediu a contratação de jogadores que vistam 'com honra' a camisa do time mineiro.

"Eu sabia que ia ser difícil, mas eu assumo essa responsabilidade de poder estar com os meus companheiros, de poder tirar o Cruzeiro dessa situação. Precisamos de contratações, de jogadores que venham a vestir a camisa com honra. O Cruzeiro precisa de jogadores assim neste momento, e espero que essa gestão do Cruzeiro possa estar correndo atrás neste momento, porque a gente precisa desses jogadores em nosso elenco", disse Moreno, que também falou sobre a negociação com a Raposa:

"Foi muito rápida a negociação. Não demorou nem um dia, entre jogador e direção. O que demorou realmente foi a minha rescisão contratual na China. Tive que abrir mão de algumas coisas para voltar para o time que eu sou torcedor, que eu gosto, que eu me sinto bem, que eu me sinto respeitado".

Em sua terceira passagem pelo Cruzeiro, Marcelo Moreno foi apresentado, em fevereiro, com a camisa da Raposa pintada no corpo. O boliviano de 32 anos assinou um contrato de três temporadas.

UOL Esporte vê TV