PUBLICIDADE
Topo

Por que Mattos parou ajuda de graça ao Cruzeiro antes de projeto de chinês

Alexandre Mattos se tornou um conselheiro do Núcleo Dirigente Transitório do Cruzeiro - Bruno Ulivieri/AGIF
Alexandre Mattos se tornou um conselheiro do Núcleo Dirigente Transitório do Cruzeiro Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

09/01/2020 12h00

Resumo da notícia

  • Alexandre Mattos comunicou saída do Cruzeiro. Convidado por Pedro Lourenço, que também deixou o clube, ele trabalhou de forma gratuita por quatro dias
  • Saída de Pedrinho, como o ex-vice de futebol é conhecido, foi o que desencadeou seu desligamento. Ele não se sentia à vontade para ficar após o fato
  • Adeus de Lourenço ocorreu devido ao conturbado momento do time. O empresário não tinha a autonomia que julgava necessária para gerir o futebol

Alexandre Mattos comunicou, na manhã de hoje, a saída do Cruzeiro. Convidado por Pedro Lourenço, que também deixou o clube, ele trabalhou de forma gratuita por quatro dias como um conselheiro do departamento de futebol. Mas o que culminou em seu adeus após uma passagem tão breve pela Toca da Raposa?

O UOL Esporte apurou que a saída de Pedrinho, como o antigo vice-presidente de futebol é conhecido, foi o que acarretou em seu desligamento. Como estava no clube a convite do empresário, o executivo de futebol não se sentia à vontade para permanecer como um tutor da cúpula.

Por sua vez, o adeus de Pedro Lourenço ocorreu devido ao conturbado momento vivido nos bastidores da Toca da Raposa II. O proprietário do Supermercados BH não tinha a autonomia que julgava necessária para gerir o futebol no clube. Ele apresentou divergências com outros membros do Núcleo Dirigente Transitório e optou pela renúncia ao cargo. Diante dos motivos apresentados pelo empresário, Mattos seguiu o mesmo caminho.

A segunda passagem de Alexandre Mattos pelo Cruzeiro durou quatro dias. No último domingo (5), ele se reuniu com Lourenço e Saulo Fróes, presidente do Núcleo Dirigente Transitório, para definir o seu retorno. Na ocasião, aceitou ajudar de forma gratuita até obter o visto para trabalhar no Reading, da Inglaterra. O clube tem o bilionário chinês Dai Yongge como proprietário. Ele construiu um império de shopping centers subterrâneos e, numa diversificação de investimentos e negócios, também tem parte em outros dois clubes de futebol.

Na segunda-feira (6), o dirigente definiu algumas situações do clube, como as saídas de Fabrício Bruno, Egídio, Henrique e Marquinhos Gabriel e a contratação de Ocimar Bolicenho para o cargo de diretor de futebol. Com poucos dias de trabalho, fez o clube economizar mais de R$ 7,3 milhões.

Mattos seguiu em Belo Horizonte no dia seguinte. No entanto, voltou a São Paulo na última quarta-feira para resolver detalhes da mudança para a Inglaterra, onde vai trabalhar a partir de março. O ex-diretor de futebol do Palmeiras ainda tem viagem marcada aos Estados Unidos nos próximos dias. Ele irá à Flórida com familiares.

Alexandre Mattos se colocou à disposição do Núcleo Dirigente Transitório em uma eventual necessidade e também do diretor de futebol Ocimar Bolicenho. No entanto, não deve ajudar de forma tão ativa como ocorreu nos últimos dias.

Cruzeiro