PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Ambiente e clima ruim com a torcida pesaram para saída de André do Grêmio

André não tinha ambiente bom com a torcida e era muito cobrado pelos aficionados do Grêmio - Pedro H. Tesch/AGIF
André não tinha ambiente bom com a torcida e era muito cobrado pelos aficionados do Grêmio Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Quando decidiu pela saída de André, o Grêmio levou em conta o apelo da torcida.
  • O jogador é constantemente cobrado pelos aficionados em jogos e redes sociais.
  • Segundo o presidente Romildo Bolzan Júnior não há clima para seguir no clube.
  • O Tricolor procura negociação para ele.

O Grêmio está decidido pela saída de André. Ao lado de Diego Tardelli, o centroavante contratado em 2018 não seguirá no clube em 2020. E, para concluir que o melhor era procurar destino em outro clube, o Tricolor ponderou a pressão da torcida. O ambiente está longe do ideal entre o jogador e os aficionados. Quando foi chamado para entrar nos últimos jogos em que recebeu oportunidade, André ouviu vaias e xingamentos na Arena. E quando tocou na bola, o clima de reclamação seguiu.

"Os ambientes que se geram no futebol são injustos, desumanos... Nas redes sociais se faz juízo de pessoas, imagens, acabam com reputações, não têm respeito pela família, pessoas, amigos... Eu tenho um extremo constrangimento sobre isso. Nitidamente é uma situação que não podemos querer que ele fique aqui para 'sangrar', ser alvo de perseguições, raiva, humilhação. Não vamos ficar massacrando o jogador. Mesmo que faça grandes jogos, quando surgir uma partida ruim, será muito pesado. Eu me revolto com isso, não gosto, não tenho prazer e nenhuma admiração por isso. Me sinto constrangido e ameaçado. Me coloco na pele do jogador. Não é bom para ele estar aqui e sofrer este tipo de situação. Terá que fazer o próximo passo", disse o presidente Romildo Bolzan Júnior à Rádio Guaíba.

O Tricolor investiu R$ 10 milhões na contratação de André em 2018. O jogador disputou 29 jogos e marcou quatro gols na primeira temporada no Sul. Neste ano, foram 45 jogos e sete gols marcados. O Grêmio aceita três moldes diferentes de negócio para se desfazer dele. O primeiro, e considerado ideal, é a venda. Mesmo que por valor inferior ao pago ao Sport, que vendeu ao Tricolor no ano passado. O segundo é o empréstimo com o clube que receber o atleta pagar seu salário. Neste cenário, é estipulada uma cláusula de compra. E o terceiro é a divisão de gasto entre o Grêmio e o clube que receber o atleta em um empréstimo sem cláusula de permanência.

Até agora não há propostas concretas pelo centroavante de 29 anos.

A irritação da torcida não se justifica apenas pelo rendimento aquém do esperado em campo. André esteve presente em polêmica fora dele quando teve um Boletim de Ocorrência registrado por vizinhos que reclamavam das festas que ele realizava no condomínio onde mora.

Além de liberar André e Tardelli, o Tricolor espera contratar um centroavante. O nome de Emmanuel Gigliotti é um dos avaliados, mas o clube não crê na concretização do acordo.

Grêmio