Topo

Flu pede liberação de Caio Henrique, que não se incomoda: "Sou muito grato"

Caio Henrique comemora seu gol contra o Grêmio  - Thiago Ribeiro/AGIF
Caio Henrique comemora seu gol contra o Grêmio Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro

03/10/2019 14h21

Um dos destaques do Fluminense em 2019 mesmo deslocado para a lateral-esquerda, Caio Henrique voltou a ser convocado para a seleção olímpica que jogará dois amistosos neste mês. O Tricolor, entretanto, pediu sua liberação, já que o perderia, junto com o volante Allan, para os jogos contra Cruzeiro e Bahia, pela 24ª e 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar de admitir que voltar a ser selecionado era um objetivo, o polivalente jogador não se incomodou com o pedido do clube.

"O presidente (Mario Bittencourt) está defendendo o interesse do clube, isso é normal. Se for para defender o Fluminense, farei. Se for para defender a Seleção, também. Estou tranquilo e vou esperar pela decisão. Sou muito grato ao Fluminense, é o clube que me abriu as portas. O ano passado no Paraná não foi tão bom pelo rebaixamento. Hoje estou em um ambiente melhor. Consegui voltar à Seleção, que era um objetivo. Estou muito feliz e espero retribuir dentro de campo", afirmou.

Mesmo considerando a situação difícil, a diretoria tricolor decidiu consultar oficialmente a CBF por uma liberação. O clube considera um desgaste com a instituição, mas em momento complicado na competição, apostou na boa relação com a entidade e a comissão técnica da seleção olímpica para conseguir, ao menos, a liberação de um dos dois atletas. Esta informação foi primeiro veiculada pelo "Globoesporte.com" e confirmada pelo UOL Esporte.

Caio também foi questionado sobre outra indefinição do clube: o cargo de treinador. Com Marcão mantido como interino, o jogador voltou a elogiar a retomada da maneira de jogar da equipe desde o início da temporada.

"Cada um tem a sua característica. O grupo vem tentando assimilar o que o Marcão vem pedindo. Principalmente uma recomposição mais rápida e tentar retomar a bola logo também. Fizemos isso contra o Grêmio e fomos bem. Se o Marcão for efetivado, tem o carinho das pessoas, está conosco todos os dias, será bom, e se chegar alguém, também sera bem recebido. É um grupo que acolhe bem as pessoas", declarou.

O Fluminense segue na preparação para enfrentar o Botafogo, no domingo (6), às 16h, no Estádio Nilton Santos. Na 16ª colocação com 22 pontos, três acima da zona de rebaixamento, o Tricolor tenta encostar no meio da tabela. E joga contra um rival bastante pressionado.

"O Botafogo está pressionado, mas vai ser um jogo difícil. É o jogo da vida deles, assim como nosso. Em alguns jogos, deixamos de jogar nas nossas características. Contra o Grêmio, retomamos o que estávamos fazendo. Contra o Botafogo, vamos manter essa postura. É a postura que o Fluminense tem que ter para conquistar grandes coisas", opinou.