Topo

Fluminense ganha fôlego após mês conturbado e vive semana de expectativas

Jogadores e comissão técnica do Fluminense celebram gol contra o Corinthians, no Mané Garrincha - MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Jogadores e comissão técnica do Fluminense celebram gol contra o Corinthians, no Mané Garrincha Imagem: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

17/09/2019 04h00

Após um mês conturbado, tanto nos bastidores quanto para o elenco, o Fluminense respira um pouco mais aliviado depois da vitória sobre o Corinthians e vive uma semana de expectativas visando o começo do segundo do Campeonato Brasileiro.

Além do resgate da confiança que o resultado levou ao grupo tricolor, segundo o técnico Oswaldo de Oliveira, novos nomes podem ser integrados em breve. A diretoria tem os acertos encaminhados e pode anunciar, nos próximos dias, as contratações do lateral-esquerdo Orinho, de 24 anos, ex-Santos e Ponte, e do zagueiro Luccas Claro, de 28 anos, que se destacou no Coritiba e estava na Turquia.

A zaga era um setor considerado carente e ganhou ainda mais urgência depois de grave lesão de Matheus Ferraz (rompeu ligamento do joelho direito). Já no caso da lateral esquerda, a chegada de um reforço pode ter reflexo, inclusive, no meio de campo, setor que mais sofreu alterações com Oswaldo.

Desde o começo do ano, ainda sob o comando de Fernando Diniz, o meia Caio Henrique vem atuando como lateral. Com Orinho e Mascarenhas - que pode voltar a treinar com o elenco nesta semana - como opções, Oswaldo pode ver em Caio mais uma peça para compor o meio.

"É uma possibilidade [Caio no meio], sem dúvida. Ocorre que o Mascarenhas está lesionado, não está podendo nem participar do treinamento e é uma coisa que pode levar mais algum tempo. Mas é uma questão que a gente leva em consideração", apontou Oswaldo, durante a sua apresentação.

Com Diniz, o Flu atuava no 4-3-3, tendo Allan como primeiro volante, Ganso e Danielzinho. Já com Oswaldo, a equipe passou a adotar o 4-4-2, com dois volantes e dois meias - no caso do jogo contra o Timão, Ganso e Nenê.

O volante Airton e Wellington Nem também ficam à disposição para o duelo com o Goiás, domingo, no Serra Dourada, pela 20ª rodada do Brasileiro.

Essa "mudança de ares" às vésperas do começo do returno acontece quase um mês depois da derrota para o CSA, no Maracanã, que fez o Tricolor entrar na zona de rebaixamento e gerou a demissão de Diniz.

O acerto com Oswaldo aconteceu depois de negativas de Abel Braga e Dorival Júnior. O novo treinador não foi unanimidade entre a torcida e, de lá para cá, foram cinco partidas, com duas vitórias e duas derrotas no Brasileiro e um empate em 1 a 1 em casa, com o Corinthians, que acarretou na queda nas quartas de final da Sul-Americana.

Agora, Oswaldo espera que possa lapidar o time para que os resultados positivos aconteçam nas próximas rodadas e quer contar com o apoio da torcida.

"Encontrei o Fluminense acabrunhado, com jogadores indecisos, sem confiança. Estamos reconquistando, mas é claro que o que transborda de de fora para dentro é importantíssimo. Já via a torcida do Fluminense se superar inúmeras vezes ao longo desses quase 60 anos que acompanho os clubes cariocas. É o momento de irmos juntos agora. É o momento de abraçar os jogadores e os jogadores dentro do campo darem essa resposta", disse o treinador, em entrevista ao SporTV.

Mais Fluminense