Topo

Odair vê Inter na disputa pelo Brasileiro e elogia atuação de reservas

Do UOL, em Porto Alegre

15/09/2019 13h59

O Internacional, com reservas, fez 3 a 1 no Atlético-MG, hoje (15), em Belo Horizonte. Fechando o turno com 33 pontos, o técnico Odair Hellmann elogiou a atuação do time e disse que sua equipe está na briga por coisas grandes no Brasileiro.

"Foi uma vitória importante do Inter, independente de quem jogou. Se fosse uma derrota, seria a mesma coisa. Usamos todo o grupo, treinamos os jogadores que ficaram em Porto Alegre para quarta-feira (final da Copa do Brasil). Trouxemos para o banco praticamente só meninos da base, que entraram. Isso fortalece o trabalho. Provavelmente terminaremos o turno entre os seis primeiros, e neste período disputamos três competições. O trabalho está sendo feito, os jogadores se entregando ao máximo e dando a resposta. Em alguns momentos falhamos, erramos, não conseguimos jogar bem. Mas são poucos momentos. Bem menos do que as vitórias, os que jogamos bem, e que têm nos trazido até aqui", disse o treinador.

Com dois gols de Pottker e um de Neilton, o Colorado superou o rival no Horto com uma atuação consistente. Foi superior durante toda partida e o gol sofrido ocorreu após os 40 minutos do segundo tempo.

Com 33 pontos, nove atrás do Flamengo, que lidera o Brasileiro, Odair entende que no segundo turno o Colorado poderá se aproximar ainda mais e disputar o topo.

"Não tem nada decidido no campeonato. Temos 33 pontos, o Flamengo tem 42. Nós ainda temos um jogo com eles. Pensando pela nossa ótica, a possibilidade de buscar é algo natural. Imagina as equipes que estão na nossa frente, então... Não tem nada decidido. O Flamengo tem jogado muito bem, conquistado vitórias, mas em determinado momento da competição pode dar uma oscilada e, dependendo da distância, o adversário pode chegar. É muito difícil. Dependendo do momento que se oscila, pode não recuperar. O Santos oscilou, por exemplo", completou Odair.

O desempenho na primeira metade do Brasileiro, quando acumulou a disputa com a Copa do Brasil e a Libertadores, agradou o comando técnico, que prevê evolução quando tiver apenas uma competição no calendário.

"Nosso objetivo, lá no início, era estar na final e estar na parte de cima da tabela agora, porque depois do encerramento da Copa do Brasil temos um turno inteiro para jogar. Conseguimos. É uma resposta para todos. Poderíamos estar melhor? Claro que sim. Mas, é como eu disse, não somos um time perfeito. Dentro das nossas dificuldades, temos atingido nossos objetivos com qualidade e resultado", acrescentou.

O Internacional, agora, encara o Athletico Paranaense no jogo de volta da final da Copa do Brasil. Derrotado por 1 a 0 no jogo de ida, o Colorado precisa vencer por dois ou mais para quebrar o jejum de 27 anos sem conquistas nacionais e levar a taça sem a necessidade dos pênaltis. Se apenas vencer, leva a decisão para as cobranças. E qualquer outro resultado deixa o time gaúcho com o vice-campeonato.