PUBLICIDADE
Topo

Santos

Sem Pato, Peres admite dificuldade por centroavante e busca opções

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

22/02/2019 14h19

O presidente do Santos, José Carlos Peres, lamentou as declarações do empresário de Alexandre Pato garantindo que o atacante irá cumprir seu contrato com o Tianjin Tianhai, da China, mas garantiu que o Peixe trabalha com outras opções para a posição.

Pato era o sonho de consumo da diretoria santista que apostava no jogador para ser a referência técnica do elenco. Desde a saída de Gabigol no final do ano passado, o Santos ainda não conseguiu repor a perda.

"Há outras opções, infelizmente não há centroavantes disponíveis no Brasil e nossa cota de estrangeiros está estourada", disse Peres em rápido contato com o UOL Esporte, lembrando que o time do técnico Jorge Sampaoli já conta com seis estrangeiros inscritos no Paulista: Felipe Aguilar, Copete, Sánchez, Cueva, Derlis e Soteldo.

O atual mandatário sofre com a posição de centroavante desde quando venceu as eleições do clube no final de 2017. O Santos perdeu Ricardo Oliveira e desde então nunca mais encontrou um jogador que efetivamente resolvesse o problema do setor. Mesmo nos melhores momentos de Gabigol, o Peixe sempre esteve no mercado em busca de um camisa 9 de área.

No ano passado, a procura que durou quase a temporada toda findou na contratação de Felippe Cardoso, da Ponte Preta, que chegou indicado pelo ex-técnico Cuca. Apesar de terminar o ano em alta, o atacante não conseguiu se firmar na equipe neste início de temporada e, para piorar a situação, sentiu uma lesão e ainda não retornou ao time.

Desde que assumiu o Santos, Peres já tentou a contratação de nomes como Santiago Tréllez, Gilberto, Fernando Uribe, Jonatan Álvez, Barcos, Franco Di Santo, Calleri, Stuani, Marcelo Moreno, Vagner Love, Marco Rúben, Germán Cano, Tobías Figueroa e mais recentemente Nicolás Blandi, Raniel e Ricardo Oliveira, além do próprio Alexandre Pato.

Entre os nomes recentes, o Peixe sempre esbarrou na alta pedida. O San Lorenzo só aceitava negociar Blandi por valores acima dos 5 milhões de dólares (18 milhões de reais). O Cruzeiro não tinha intenção de liberar Raniel, mas segundo o agente do atacante os valores girariam em torno de 5 milhões de euros (21 milhões de reais). Já com Ricardo Oliveira e Alexandre Pato o Santos esperava um desligamento dos atuais clubes para negociar apenas salários, o que não aconteceu.

Santos