PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu volta a ser assombrado por dívidas e revive fantasmas do passado

Pedro Abad, presidente do Fluminense, durante entrevista coletiva - Mailson Santana/Fluminense
Pedro Abad, presidente do Fluminense, durante entrevista coletiva Imagem: Mailson Santana/Fluminense

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/02/2019 04h00

Ano novo, velhos problemas. Passada a euforia pela contratação de Paulo Henrique Ganso e a vitória heroica por 1 a 0 sobre o Flamengo, o Fluminense voltou a mergulhar em sua crise financeira e vê fantasmas bem conhecidos assombrarem o clube novamente.

Com as contas bloqueadas pelo técnico Levir Culpi, antigo credor tricolor, a cúpula de futebol do clube viu os jogadores se recusarem a treinar na última terça-feira. Ainda que o problema não tenha sido sanado, o grupo retomou normalmente suas atividades ontem.

Na manhã de ontem, o Flu foi sacudido por mais uma cobrança. Por determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o Fluminense foi notificado e recebeu um prazo de cinco dias para regularizar a pendência de R$ 2,4 milhões referentes ao Ato Trabalhista. Se não quitar em cinco dias, o Tricolor pode ser excluído do parcelamento pago mensalmente para honrar débitos com ex-jogadores e ex-funcionários. O Ato evita bloqueios judiciais das receitas e, atualmente, perdê-lo seria um enorme problema para o clube.

Os tricolores afirmam que esta pendência refere-se apenas ao mês de fevereiro, já que janeiro foi pago no último dia 14. O entendimento no clube é de que a questão será solucionada, mas a pressão pelas dívidas que asfixiam as finanças gera ainda mais estresse nas Laranjeiras.

O Tricolor convive com penhoras que dificultam o fluxo de caixa e a saída quase sempre é o recurso dos pedidos de empréstimos, inclusive a tricolores mais abastados. O Flu conta com os R$ 150 mil devidos pela passagem à final da Taça Guanabara para encher o cofrinho, mas isso não será suficiente. Só com os atletas o Fluminense soma dívidas pelo 13º salário de 2018 e o mês de janeiro. A questão com o TRT passa pouco mais da casa de R$ 1 milhão.

A receita oriunda de uma parcela da venda de Ibañez para a Atalanta seria uma das frentes possíveis para tampar parte deste buraco, mas o dinheiro pela transferência do zagueiro não deve estar disponível de forma imediata.

Ganso é a boa nova

Em meio ao caos provocado pelas cobranças, a torcida vive a expectativa de ver Paulo Henrique Ganso, principal contratação do clube para a temporada, estrear com a camisa tricolor. O meia faz hoje o seu último treino antes do compromisso de amanhã diante do Bangu, às 21h, no Maracanã.

Fluminense