PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

Jogar pela Inglaterra me deixava "deprimido", diz volante do United

Michael Carrick, jogador da seleção inglesa - Mark Thompson/Getty Images
Michael Carrick, jogador da seleção inglesa Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

20/04/2018 13h07

Classificação e Jogos

Para muitos jogadores, atuar pela seleção de seu país é uma grande motivação, mas isso não acontecia com Michael Carrick. Em entrevista ao canal BBC2, o volante do Manchester United revelou que chegou a pedir para não ser convocado para a equipe da Inglaterra e chegava a ficar "deprimido".

"Eu estive na equipe há muito tempo e vou ser honesto, eu estava achando difícil estar na seleção", afirmou. "Eu não me importava de fazer pré-temporada por três semanas com o United ou qualquer outra coisa e voltar, mas indo com a Inglaterra, era quase deprimente de certa forma."

Para Carrick, a gota d'água foi a Copa do Mundo de 2010, em que a seleção inglesa decepcionou e foi eliminada nas oitavas de final ao perder por 4 a 1 para a Alemanha. "Isso me deixou realmente triste, então cheguei ao ponto depois da África do Sul, onde pensei: 'Eu não posso fazer isso de novo.'"

"Eu provavelmente estava à beira de ... sim, eu estava deprimido às vezes, sim. Eu disse à federação: 'Olhem, por favor, não me convoquem'", revelou o volante.

Apesar de ter ficado fora de algumas convocações, Carrick continuou sendo convocação para a seleção, embora com cada vez menos frequência. O volante ficou fora da lista da Eurocopa de 2012 e ficou apenas na lista dos 30 atletas para o Mundial de 2014, não chegando a ser um dos 23 escolhidos pelo então técnico Roy Hodgson.

Sua última partida pela seleção foi em 14 de novembro de 2015, durante partida contra a Espanha. Aos 36 anos, Carrick admitiu que se aposentará dos gramados ao fim desta temporada.

Copa 2018