PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Flamengo jogará em Brasília com público de até 15 mil pela Libertadores

Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha em registro de 2014 - Frank Ossenbrink/ullstein bild via Getty Images
Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha em registro de 2014 Imagem: Frank Ossenbrink/ullstein bild via Getty Images
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

15/07/2021 15h24

O Flamengo conseguiu a transferência do jogo contra o Defensa y Justicia pela Libertadores para Brasília para ter público. O governo do Distrito Federal publicou um decreto autorizando torcida. A partida, que será na próxima quarta-feira, poderá receber até 15 mil pessoas, o que representa 25% da capacidade de público do Estádio Mané Garrincha.

A Conmebol tinha liberado a presença de público em partidas da Libertadores em medida anunciada no domingo. Havia a dependência de ter aprovação das autoridades locais. A CBF é contra essa volta de torcida neste momento: no Brasileiro, só vai permitir quando houver igualdade em todos os Estados.

Com isso, o Flamengo pleiteou junto ao governo do Distrito Federal e a prefeitura do Rio a liberação de público. O governo de Brasília aprovou a presença de público com a presença de vacinados (com a segunda dose) ou de torcedores com teste negativo de RT-PCR. É permitida a venda de ingressos. Organizadores da partida são responsáveis pela fiscalização de cartões de vacinação e testes: podem receber multas de até R$ 100 mil em casos de descumprimento.

Além disso, o clube rubro-negro teve de negociar com o Defensa y Justicia. Pelo regulamento da Libertadores, é preciso obter o aval do adversário para alterar seu local original de jogos, que, no caso rubro-negro, é no Maracanã. Havia negociação de compensação financeira. Ao final, o Defensa topou.

A primeira partida das em oitavas-de-final da Libertadores foi realizada na Argentina sem público. No país, ainda não há liberação de torcidas em estádios.

Com a medida da Conmebol, clubes do continente mobilizam-se para ter torcida. Já houve um plano do Cerro Porteño de ter público contra o Fluminense, mas não houve tempo. O Atlético-MG também analisava a possibilidade, embora visse dificuldades pela proibição de torcida na prefeitura de Belo Horizonte.

Os clubes brasileiros jogam sem torcida desde março de 2020 quando a temporada foi paralisada por conta da pandemia de coronavírus. Houve um jogo com público na final da Libertadores, entre Palmeiras x Santos, no Maracanã, com cerca de 7 mil pessoas convidadas com testes negativos para Covid.

Rodrigo Mattos