PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

Globo tenta até a última hora evitar perda da Libertadores para SBT

Everton Ribeiro, do Flamengo, disputa bola na partida contra o Barcelona-EQU, pela Libertadores - Thiago Ribeiro/AGIF
Everton Ribeiro, do Flamengo, disputa bola na partida contra o Barcelona-EQU, pela Libertadores Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/09/2020 04h04

A Globo tentou uma última cartada para manter a Libertadores e impedir o acerto com o SBT pelos jogos de TV Aberta. A investida, no entanto, não deu certo. O SBT e a Conmebol concluíram as os trâmites finais da negociação entre as partes, e a emissora foi anunciada como nova detentora dos direitos para o Brasil.

Está claro que a Globo considera a Libertadores uma competição essencial para sua grade de programação esportiva. É um produto premium como o Brasileiro por reunir até nove times nacionais, em geral, os mais populares e bem-sucedidos.

A emissora carioca tinha um contrato até 2022 por US$ 60 milhões por ano pelos direitos de TV Aberta e jogos da TV Fechada. Esse pacote tem prioridade de escolhas de jogos, com duas partidas na quarta-feira, e todos os jogos decisivos até a final. Mas pediu a rescisão do acordo à Conmebol por considerar o valor alto.

A partir daí, a Globo voltou a conversar com a Conmebol para fazer uma nova oferta. Apostava-se que não haveria uma proposta melhor pelo pacote da Globo e, com isso, seria aceito um valor reduzido. A entidade, no entanto, optou por ofertar os jogos de TV Aberta no mercado brasileiro. E rechaçou propostas da Globo.

Há motivos: 1) a Conmebol quer abrir novos mercados no Brasil com uma outra possibilidade de TV Aberta 2) Agradar os patrocinadores da Conmebol que poderão ser exibidos nas transmissões 3) Houve um desconforto com a Globo pela forma como foi conduzida a renegociação e a rescisão unilateral.

A insistência da Globo explica-se porque não há competição para substituir a Libertadores na grade da emissora até 2022. Assim, a saída seria reforçar a cobertura de Brasileiro e Copa do Brasil. A novela se conclui até o final desta semana ou início da próxima já que a Libertadores recomeça na TV Aberta no dia 16 de setembro.

Consultada, a Globo informou que ainda mantém possibilidade de negócio pela Libertadores: "Prezamos a longa parceria com a Conmebol e estamos sempre abertos à negociação."

Colaborou Pedro Ivo de Almeida

Blog do Rodrigo Mattos