PUBLICIDADE
Topo

Sete fatos que mostram que o Carioca tem volta precipitada na epidemia

Fernando Moreno/AGIF
Imagem: Fernando Moreno/AGIF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

17/06/2020 04h00

Com Pedro Ivo Almeida, do UOL, em São Paulo

A volta do Campeonato Carioca, prevista para esta quinta-feira (18), foi marcada em reunião a três dias da reestreia, sem todas as medidas de prevenção ao coronavírus claras e aprovadas pelo governo, alguns times ainda nem treinaram e há recomendações de órgãos de fiscalização. Há fatos que mostram ser apressado o retorno à bola no Rio.

A decisão da reestreia do Carioca foi ratificada em reunião da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) com aprovação de 14 dos 16 clubes. Abaixo, os fatos que mostram como a volta do Carioca foi marcada na correria:

Jogos marcados antes de aprovação dos protocolos de saúde

As partidas de retorno do Carioca tiveram datas previamente marcadas sem que houvesse ainda um aval final do governo do Estado. A secretaria de saúde ainda precisava aprovar protocolos de segurança com medidas sanitárias contra o vírus. Esse aval deve ser confirmado nesta quarta-feira no Diário Oficial. A reunião para aprovar os jogos foi a apenas três dias da reestreia.

Protocolos ainda não conhecidos

As medidas de segurança para evitar contágio foram elaboradas pela Ferj e pelos clubes, que têm conhecimento de tudo que é necessário. Mas outros participantes do evento, como jornalistas, só tiveram informação sobre quais testes teriam de fazer nesta terça-feira quando já não há tempo hábil para testes RT-PCR. O mesmo vale para funcionários que não sejam jogadores.

Fluminense e Botafogo não treinaram

Contra o reinício do Carioca, Fluminense e Botafogo ainda não realizaram treinos e teriam cerca de uma semana para se preparar para a primeira reestreia marcada, no dia 22 de junhho. A prefeitura do Rio indicou que esses clubes poderiam ter jogos marcados para períodos posteriores. Os dois clubes eram contra as datas marcadas inicialmente para o recomeço do Estadual. O Botafogo sinalizou que só aceita jogar em julho, enquanto o Fluminense quer pelo menos 15 dias de treinos. Mas, no arbitral, as reestreias foram confirmadas para o dia 22.

Testes positivos para covid-19 no Botafogo

Em entrevista nesta terça-feira à Rádio Transamérica, o gestor do Botafogo Carlos Augusto Montenegro afirmou que cinco jogadores do elenco testaram positivo para o coronavírus. Anteriormente, o Vasco também teve casos positivos em seu elenco.

Recomendação negativa do Ministério Público

O Ministério Público Estadual recomendou que a Ferj não reiniciasse o Estadual. Baseou-se em uma posição do Cremerj (associação de médicos) que apontou que países que retornaram ao futebol como Espanha e Itália estavam em momento de desaceleração da epidemia do coronavírus. Outro problema apontado pelo Cremerj foi a escassez de testes para saúde pública e que acabariam sendo usados no futebol.

Epidemia tem desaceleração no Rio, mas não está controlada

Os números recentes do Estado do Rio mostram uma queda nos novos casos e mortes. Mas ainda não houve três semanas de reduções constantes nos números da região, como recomendam os epidemiologistas.

Em relação aos casos, o Estado do Rio teve média de 1.635 novos casos por dia na última semana, contra 2.131 no período anterior. Antes, foram 2.176 em média. Em termos de óbitos, também há uma tendência de redução. Foram 135 mortes em média por dia nos últimos sete dias, contra 188 no período anterior. Há aumento de casos no interior e redução na capital, onde serão os jogos. Na terça-feira, foram 232 mortes em 24 horas, maior número em 12 dias.

Estadual é o único a voltar no Brasil

O Rio de Janeiro foi o segundo Estado em número de mortes de coronavírus. Ainda assim, é o único Estadual que recomeçará. O Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que tinham menos casos, tinham previsão de julho para o reinício, assim como Minas Gerais. Já o Estado de São Paulo ainda não tem perspectiva de volta do Paulista.

Blog do Rodrigo Mattos