PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos


Como Conmebol e CBF fazem planos na incerteza do calendário por coronavírus

Maracanã, antes de Fluminense x Botafogo, de portões fechados - Divulgação/Fluminense
Maracanã, antes de Fluminense x Botafogo, de portões fechados Imagem: Divulgação/Fluminense
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

17/03/2020 04h00

Diante da crise do coronavírus, o cenário do calendário do futebol brasileiro e sul-americano ainda é bastante incerto porque não sabe quanto tempo vai durar a paralisação de campeonatos. A CBF e a Conmebol suspenderam todos os campeonatos nacionais, as federações fizeram o mesmo com Estaduais mais relevantes. Agora, as entidades estudam alternativas para a temporada, e ouvirá federações, clubes e jogadores.

Para tomar a decisão da paralisação, a entidade já ouviu alguns times e o sindicato dos jogadores, além das federações. Acabou convencida, por meio de dados estatísticos sobre a evolução da doença, que era melhor para pelo efeito causado por aglomerações em jogos.

"Não (discutimos com clubes a temporada), a decisão é do final de semana. Globo foi avisada formalmente. Haverá uma assembleia de federações nesta semana que poderá se discutir isso", contou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

A maior dificuldade agora da CBF é não saber qual o período de paralisação dos jogos. A entidade já trabalha com alternativas. A princípio, não vai estabelecer uma prioridade para o Brasileiro. A questão é justamente saber quantas datas foram perdidas para saber se será possível concluir todas as competições, ou refazer fórmulas.

Na Conmebol, foram feitos já vários estudos sobre diferentes cenários para adaptar a Libertadores e a Copa Sul-Americana. Por enquanto, o que se sabe é que não haverá jogos por três semanas. Nem serão realizados os jogos marcados desta semana, e as outras duas semanas já eram de folga. Mas sabe-se que dificilmente a paralisação será apenas neste período.

Por isso, a Conmebol vai traçar planejamentos para diferentes períodos de paralisação. Todos os dirigentes apontam como cedo definir uma estratégia por essa incerteza.

Blog do Rodrigo Mattos