PUBLICIDADE
Topo

Como a Conmebol tratará efeitos do Coronavírus na Libertadores

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/03/2020 16h28

A Conmebol pretende confiar nas autoridades governamentais de cada país da América do Sul para decidir sobre possíveis adiamentos ou portões fechados em jogos das Libertadores por conta do coronavírus. Ao contrário do que ocorre na Liga dos Campeões, e outras competições europeias, não houve nenhum jogo da competição continental afetado até agora.

A única ameaça foi na partida Barcelona de Guayaquil e Independiente Del Valle, no Equador, que chegou a ter seus portões fechados, em decisão que acabou posteriormente revista. O procedimento adotado neste caso serve como padrão para partidas futuras.

A ideia da Conmebol é que governos onde serão realizadas as partidas decidam sobre a necessidade de intervir em um jogo se o vírus estiver disseminado na população local. A partir daí, a posição das autoridades governamentais será repassada para a confederação por meio do clube mandante. E a entidade sul-americana decidirá caso a caso, sendo certo que seguirá as orientações das autoridades sanitárias.

No Brasil, a CBF também não teve afetada nenhuma das partidas da Copa do Brasil. A intenção da entidade é também seguir instruções do governo brasileiro que por enquanto não interferiu na realização de eventos de grande porte.

Como noticiado pelo UOL, a Fifa pode ser mais precavida e suspender as rodadas das eliminatórias por conta do coronavírus. E há uma primeira informação de pedido de federações europeias para a UEFA para adiamento da Euro neste ano.

Já há casos do novo vírus confirmados no Brasil e em outros países sul-americanos. Mas até agora são em número menor do que na Ásia e na Europa.

Blog do Rodrigo Mattos