PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos


Ferj 'esconde' cota de TV do Carioca após redução por ausência do Flamengo

Jogadores do Flamengo comemoram no Maracanã em jogo contra o Vasco - Thiago Ribeiro/AGIF
Jogadores do Flamengo comemoram no Maracanã em jogo contra o Vasco Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

27/01/2020 14h46

Com Léo Burlá

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) decidiu retirar as informações sobre cota de televisão dos borderôs dos jogos do Carioca após a redução do contrato com a Globo pela falta de acordo do Flamengo. Até 2019, a entidade tinha como procedimento publicar nos documentos o valor proporcional pago pela televisão para disfarçar os prejuízos na maioria das partidas. Isso foi abandonado nesta temporada.

A entidade estadual e os três grandes, Fluminense, Vasco e Botafogo têm contrato com a Globo pelos diretos dos Estaduais até 2024. Mas há a previsão de um desconto de R$ 18 milhões se o Flamengo não assinasse a renovação do contrato, como o blog revelou. Pelo acordo, haveria redução dos valores dos times menores.

Os jogos do Estadual continuam a apresentar prejuízos, com raras exceções. Nas duas primeiras rodadas, que têm borderôs disponíveis, só houve um jogo de times grandes, Vasco x Bangu, em que o time cruzmaltino saiu com lucro de R$ 100 mil. Nem o clássico entre Flamengo x Vasco se salvou de déficit, com perda de R$ 56 mil para cada clube. O maior prejuízo foi do Fluminense no jogo com a Portuguesa, em que o time teve de pagar R$ 353 mil.

A federação, no entanto, preferiu não publicar as cotas de cada clube. O Vasco, por exemplo, ganha R$ 1,6 milhão por jogo segundo o borderô do ano passado. Considerando que são 11 jogos da temporada regular do Carioca, sem contar finais, esse valor multiplicado pelo número de partidas dá sua cota total em torno de R$ 18 milhões por todo o campeonato.

Questionada, a Ferj informou que os times já sabem suas cotas de TV: "É uma decisão interna (não publicar as cotas). Todos os clubes têm conhecimento de seus valores através de suas contas correntes e não altera em nada a retirada da cota de TV do borderô."

Se fossem publicadas as cotas nos borderôs, seria possível saber quanto cada clube perderá na sua remuneração. Em meio ao imbróglio da negociação com o Flamengo, a Globo celebrava ao menos essa economia para seus cofres já que deixará de gastar R$ 36 milhões, o dinheiro destinado ao Flamengo, mais o desconto do contrato. Em compensação, pode pagar em torno de R$ 100 milhões por uma competição na qual não poderá transmitir a final.

Já a Ferj passa a gerir uma competição com ainda menor valor de mercado.

Blog do Rodrigo Mattos