PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos


Flamengo explica a patrocinadores que rejeitou Globo por valor sem reajuste

Flamengo e Macaé se enfrentam na primeira rodada da Taça Guanabara - Thiago Ribeiro/ Agif
Flamengo e Macaé se enfrentam na primeira rodada da Taça Guanabara Imagem: Thiago Ribeiro/ Agif
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

21/01/2020 04h00

A diretoria do Flamengo avisou aos seus patrocinadores que não fecharia contrato com a Globo para o Carioca assim que a situação ficou definida. Tomou essa iniciativa porque há impacto para a exposição da marca do clube. Ao falar com os parceiros, o clube justificou que os próprios acordos com patrocinadores tiveram reajustes enquanto a emissora queria pagar o mesmo montante de 2016 só com correção da inflação.

O entendimento rubro-negro é de que atualmente a marca do clube vale mais do que há três anos. Houve a montagem de um novo time de estrelas e conquista de títulos, entre outros pontos. A diferença entre as duas propostas, de Globo e Flamengo, tem um abismo, visto que a emissora ofereceu R$ 18 milhões, e o clube pediu uma multiplicação disso - a distância era de dezenas de milhões.

O clube tem pedido mais em suas propriedades na camisa e de marketing. E, de fato, houve reajuste na maior parte dos patrocínios, como mostra o contrato recente com a Total pela barra de camisa, fechado por R$ 12 milhões por dois anos, quando a estimativa do clube era de que fossem R$ 4 milhões por ano. Há uma exceção no contrato com a Caixa Econômica Federal que era maior do que o do B2S, mas isso se explica porque o banco estava pagando acima do mercado.

A explicação dos dirigentes foi bem recebida pelos patrocinadores que entenderam a situação. Houve a compreensão de que, se eles pagavam mais, a Globo também teria de aumentar os valores. Pelo menos neste início, não houve cobranças pela redução da exposição no começo da temporada.

O Flamengo estima aumento de 21% na arrecadação de patrocínio para o ano, saltando para R$ 108,7 milhões, valor que inclui também licenciamento e royalties. Não há um entendimento de que a falta do contrato com a Globo, cuja receita não está no orçamento, vá afetar isso.

Do lado da Globo, os patrocinadores da TV aberta são fechados para toda a temporada no chamado pacote futebol. A emissora está avisando a clientes da TV a cabo que não conta com jogos do Flamengo em avisos e afirma que os direitos estão em negociação.

No sábado, a emissora reduziu a presença do Flamengo em sua cobertura da rodada, noticiando a estreia do time diante do Macaé apesar com um quadro com a escalação, sem matéria. Em nota, a Globo afirmou que a falta de acordo não afetará seu jornalismo.

Blog do Rodrigo Mattos