PUBLICIDADE
Topo

Renato Maurício Prado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

'Vada a bordo', Ceni!

Ao lado do vice de futebol Marcos Braz, Rogério Ceni esteve no Engenhão durante o clássico com o Botafogo - Alexandre Vidal / Flamengo
Ao lado do vice de futebol Marcos Braz, Rogério Ceni esteve no Engenhão durante o clássico com o Botafogo Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

25/03/2021 04h00

Afinal de contas, quando Rogério Ceni reassumirá o Flamengo? Após a terceira rodada, quando alguns dos jogadores do elenco principal foram integrados ao grupo de jovens que disputara os primeiros jogos, o natural seria que o treinador também retomasse suas funções à beira do gramado. Na terceira partida, porém, aconteceu a derrota no Fla-Flu e o que se comentava na Gávea era que "não seria justo" deixar Maurício de Souza sair com derrota. Por isso, ele teria continuado contra o Bacaxá, quando voltou a vencer - e por goleada.

Tudo muito, tudo muito bem, Ceni deveria assumir, então, no clássico contra o Botafogo. Mas isso não aconteceu. Embora na quarta-feira passada à noite, o técnico tenha estado bem ativo, no Nílton Santos: foi visto conversando com vários jogadores, antes da entrada do time em campo e também mais tarde, na volta do intervalo, para o segundo tempo - o que leva a crer que esteve no vestiário.

Por que, então, não reassume de vez? Não consigo enxergar uma razão lógica para a demora. Embora, até agora, não estejam em ação os titulares, pode-se dizer, com segurança, que estão jogando seus reservas imediatos que, portanto, deveriam estar sendo dirigidos e orientados pelo técnico principal, não pelo do sub-20, que retornará para a base tão logo Ceni reassuma as funções para as quais foi contratado.

Não sei quando o time titular voltará a campo. E acho excelente que esteja sendo preparado numa mini pré-temporada, pois este Carioquinha não vale mesmo bulhufas - e está facílimo de vencer, até com os suplentes. Mas Rogério Ceni precisa voltar logo à boca do túnel. Está mais que na hora de o comando do futebol lhe dizer, como foi dito, pela Capitania dos Portos, àquele famoso capitão do transatlântico Costa Concórdia, que abandonou o seu navio emborcado no Mar Tirreno:

- Vada a bordo, cazzo!

Futuro promissor

Apesar de um certo equilíbrio, em determinado momento do segundo tempo, os reservas do Flamengo foram bem superiores aos titulares do Botafogo, na maior parte do jogo e venceram com justiça por 2 a 0. O placar poderia ter sido até mais dilatado se algumas ótimas jogadas tivessem sido transformadas em gols. O rubro-negro teve, no clássico contra o Glorioso, sua melhor atuação até agora.

Destaque para João Gomes (Diego que se cuide, para não perder a vaga), Bruno Viana (muito seguro em suas primeiras aparições), Hugo Moura, Matheusinho e Rodrigo Muniz (centroavante trombador, mas com um faro de gol impressionante). E mesmo sem brilhar, Michael apresentou evolução.

A lamentar a contusão muscular de Pedro. Será que o trabalho que o levou a ganhar sete quilos de massa magra não causou um desequilíbrio muscular que pode ter levado à fisgada na virilha? Tomara que não seja grave. Porque, por mais que faça gols, e os tem feito, Muniz não pode ser comparado a Pedro e, muito menos, a Gabigol.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Renato Maurício Prado