Rafael Reis

Rafael Reis

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

7 estrangeiros desempregados para seu clube trazer ao Brasil neste ano

A temporada 2024 do futebol brasileiro já começou. Mas, mesmo com os campeonatos estaduais já caminhando a pleno vapor, nossos principais clubes ainda estão em busca de reforços para fechar seus elencos do primeiro semestre.

Seguindo a tendência do Mercado da Bola nacional dos últimos anos, boa parte dos reforços que ainda vão chegar por aqui nos próximos meses tendem a vir de outros países. Afinal, jogadores do exterior andam cada vez mais valorizados por aqui.

O "Blog do Rafael Reis" resolveu dar uma ajudinha aos nossos clubes nessa espécie de peneira para achar boas opções de reforços e lista abaixo sete jogadores importantes que estão desempregados e são compatíveis com o futebol brasileiro.

CARLOS VELA
Atacante, 34 anos, mexicano

Um dos jogadores mais importantes da MLS (Major League Soccer) nos últimos anos, o ex-Arsenal e Real Sociedad tinha um salário milionário, algo em torno de R$ 1,4 milhão, no Los Angeles FC, onde estava desde 2018. No entanto, de acordo com a imprensa mexicana, Vela não está muito a fim de continuar na Califórnia e nem mesmo nos Estados Unidos. É um daqueles reforços que trazem retorno técnico e também de exposição internacional, já que é um conhecidíssimo no mercado latino-americano.

JAVIER PASTORE
Meia-atacante, 34 anos, argentino

Imagem
Imagem: AFP

Uma das primeiras contratações milionárias da fase "novo rico" do PSG, passou sete temporadas em Paris e também atuou na Itália e na Espanha. Por causa de um problema crônico no quadril, que só será resolvido definitivamente com uma cirurgia, está sem jogar desde que foi embora do Qatar SC, no meio do ano passado. Mesmo com essa limitação física, teve seu nome ligado recentemente a São Paulo, Corinthians e Vasco.

FELIPE CAICEDO
Atacante, 35 anos, equatoriano

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Divulgação

Um dos maiores artilheiros da história da seleção equatoriana, construiu praticamente toda sua carreira na Europa e vestiu a camisa de times do porte de Manchester City, Inter de Milão, Lazio e Sporting. Centroavante típico, daqueles que "moram" dentro da área adversária, Caicedo já esteve na mira do Vasco. Na temporada passada, atuou na Arábia Saudita. E, desde julho, está desempregado.

ÓSCAR ROMERO
Meia, 31 anos, paraguaio

Imagem
Imagem: Divulgação/CABJ

Durante muito tempo, Óscar carregou a fama de ser o grande jogador dos gêmeos Romero. Hoje, essa ideia já não é mais tão popular assim. No entanto, o ex-Boca Juniros, Racing e Alavés é realmente um atleta mais criativo e cerebral que o irmão Ángel, atacante do Corinthians. Nas últimas semanas, aliás, surgiram rumores de que o clube paulista teria interesse em reunir novamente os gêmeos no mesmo elenco.

ANDRÉ ALMEIDA
Lateral-direito, 33 anos, português

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Divulgação

O desembarque de vários técnicos portugueses no Brasil começou a abrir o mercado nacional também (ainda que em proporção muito menor) para jogadores lusos. André Almeida é uma lenda do Benfica, clube que defendeu durante 11 temporadas e pelo qual disputou mais de 300 partidas até rescindir o contrato, um ano atrás. Com perfil mais defensivo e experiência de sobra, pode ser uma opção para fazer o lado direito da defesa de times que joguem por três zagueiros ou optem por laterais que não subam tanto ao ataque.

JOAO ROJAS
Meia-atacante, 26 anos, equatoriano

Imagem
Imagem: Franklin Jacome/Getty Images

Homônimo do também meia-atacante equatoriano que defendeu as cores do São Paulo entre 2018 e 2021, brilhou pelo Emelec na Libertadores-2022 e descolou uma transferência para o Monterrey. Só que Rojas não decolou no México, foi titular em menos de 20% dos jogos do seu time no ano passado e acabou tendo seu contrato rescindido no fim de janeiro. Agora, está livre para buscar uma nova experiência profissional.

NICO GAITÁN
Meia-atacante, 35 anos, argentino

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Divulgação

Formado nas categorias de base do Boca Juniors, o meia-atacante pode dizer que teve uma carreira completa. Gaitán jogou na seleção argentina (19 partidas), passou por grandes clubes da Europa (Atlético de Madri e Benfica), explorou mercados emergentes (China e Estados Unidos) e agora busca um clube para dar seus últimos chutes. Após uma experiência não muito boa no Paços Ferreira, de Portugal, encerrada na temporada passada, o argentino tem deixado claro que seu objetivo é voltar a jogar nas Américas.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes