PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Salah, Richarlison e Rüdiger: os alvos do Real após conquista da Champions

Mohamed Salah é um dos alvos do Real após conquista da Champions - AFP
Mohamed Salah é um dos alvos do Real após conquista da Champions Imagem: AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

29/05/2022 04h00

Campeão europeu pela 14ª vez na história depois de derrotar o Liverpool por 1 a 0, ontem, em Saint-Denis, nos arredores de Paris, o Real Madrid irá entrar na janela de transferências já ciente de que não conseguirá contratar aquele que era o seu grande alvo para a próxima temporada.

Mesmo após anos e mais anos de namoro com o clube merengue, Kylian Mbappé preferiu renovar contrato com o PSG a se transferir para o Santiago Bernabéu e vestir branco a partir do segundo semestre.

Com a derrota no Mercado da Bola, o Real terá de buscar uma nova opção para reforçar o seu sistema ofensivo e analisa vários nomes para ocupar essa vaga. Na defesa e no meio-campo, aquela tradicional renovação de elenco feita ao término de cada temporada já está bem mais encaminhada.

Quem chega?

O Real já definiu que irá adotar a mesma linha de trabalho das duas últimas temporadas e que não sairá contratando por atacado para montar seu elenco que defenderá o título europeu recém-conquistado.

Os espanhóis priorizarão a manutenção do elenco e buscarão apenas reforços pontuais, ainda que os três setores do campo devam impactados pelas mudanças que serão anunciadas em breve.

O clube deve revelar já nos próximos dias os dois reforços que a imprensa europeia já tratou de vazar ao longo das últimas semanas: o zagueiro alemão Antonio Rüdiger, cujo contrato com o Chelsea chegou ao fim, e o meia francês Aurélien Tchouaméni, que deve sair do Monaco em uma transação de até 80 milhões de euros (R$ 406,3 milhões).

A dúvida que permanece é quem será o escolhido para o posto que, nos planos originais merengues, seria de Mbappé.

O nome mais badalado, o egípcio Mohamed Salah, derrotado pelo Real na decisão de ontem, é também o menos provável -o astro já afirmou que seu planejamento para a próxima temporada é permanecer no Liverpool.

O alemão Serge Gnabry (Bayern de Munique), o brasileiro Richarlison (Everton), o inglês Raheem Sterling (Manchester City) e o uruguaio Darwin Núñez (Benfica) são outros possíveis alvos que vêm sendo apontados por diferentes veículos da Espanha.

Quem sai?

O título conquistado ontem marca o fim de parte da geração que conquistou cinco edições da Champions desde 2014. O contrato do lateral esquerdo brasileiro Marcelo, atual capitão merengue, termina no próximo mês e não será renovado -é possível que ele retorne ao país para jogar no Botafogo ou que aceite proposta da Juventus para permanecer na Europa.

Os meias-atacantes Gareth Bale e Isco, também pentacampeões continentais, mas que quase não vinham mais sendo aproveitados pelo técnico Carlo Ancelotti, são outros nomes que já foram importantes em Madri e que também darão adeus ao Santiago Bernabéu com o encerramento dos seus vínculos.

Dos jogadores que não ficarão sem contrato no fim da temporada, poucos são os que têm alguma possibilidade real de serem negociados.

O volante brasileiro Casemiro interessa ao PSG e à Juve. No entanto, só uma proposta financeiramente muito vantajosa pode fazer a diretoria pensar em negociá-lo, já que não é mais necessário enxugar a folha salarial para receber Mbappé.

Os reservas Dani Ceballos e Luka Jovic, sim, fazem parte da lista de quem realmente pode ir embora. O meia espanhol tem bastante mercado na Inglaterra, enquanto o atacante sérvio estuda uma possibilidade de voltar ao futebol alemão para jogar no Borussia Dortmund.

Quem volta?

O que não faltam são jogadores ainda vinculados ao novo campeão europeu que passaram os últimos meses emprestados a outros clubes e que agora mandados de volta ao Real. O lateral direito Álvaro Odriozola (Fiorentina), o meia-atacante Takefusa Kubo (Mallorca), o brasileiro Reinier (Borussia Dortmund) e o atacante Borja Mayoral (Roma).

No entanto, é pouco provável que algum deles realmente seja abraçado por Ancelotti e acabe fazendo parte do elenco merengue na próxima temporada. No caso específico de Reinier, que quase não foi aproveitado em dois anos na Alemanha, seu futuro deve ser um novo empréstimo, desta vez para o Valencia.

De todos os atletas atualmente cedidos pelos madrileños, aquele que parece ter mais chances de retornar ao Santiago Bernabéu é o meia-atacante Brahim Díaz, camisa 10 do Milan que venceu o Campeonato Italiano. No entanto, ele ainda tem mais 12 meses de contrato de empréstimo aos rossoneri antes de ser devolvido aos donos dos seus direitos econômicos.