PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Por onde andam outros 7 brasileiros que defenderam seleções estrangeiras?

Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/06/2020 04h20

Defender a seleção é o desejo de qualquer jogador profissional de futebol. Mas há alguns que acabam realizando esse sonho em país diferentes daquele onde nasceram e deram seus primeiros chutes na bola. Com os brasileiros, não é diferente.

Só na história das Copas do Mundo, 25 atletas originários no único país pentacampeão mundial da modalidade disputaram a competição vestindo outras camisas.

E há ainda outros tantos que atuaram por seleções estrangeiras em competições continentais, amistosos e torneios de base.

Há duas semanas, o "Blog do Rafael Reis" vem relembrando alguns desses nomes e mostrando o que cada um deles anda fazendo atualmente. Hoje, é dia de descobrir os paradeiros de outros sete brasileiros que ganharam novas cidadanias no mundo da bola.

THIAGO MOTTA
Ex-volante
37 anos
Itália

Ex-Barcelona, Atlético de Madri, Inter de Milão e Paris Saint-Germain, o paulista de São Bernardo do Campo chegou a defender a seleção brasileira na Copa Ouro-2003 antes de assumir a cidadania italiana e passar a jogar pela Azzurra. Thiago Motta disputou duas edições da Eurocopa (2012 e 2016) e a Copa do Mundo-2016 pelo país que escolheu defender. Aposentado desde 2018, treinou por uma temporada a equipe sub-19 do PSG, onde desenvolveu o incomum esquema tático 2-7-2, e, no segundo semestre do ano passado, passou dois meses no comando do Genoa.

PAULO RINK
Ex-atacante
47 anos
Alemanha

Paulo Rink (Alemanha) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Um dos maiores ídolos da história do Athletico-PR, o ex-atacante teve a oportunidade de defender a seleção alemã enquanto jogava pelo Bayer Leverkusen. Paulo Rink jogou a Copa das Confederações-1999 e também a Euro-2000 com a tradicional camisa alvinegra. De volta ao Brasil, o ex-atacante cumpre atualmente seu segundo mandato como vereador em Curitiba. Seu filho Guilherme atua nas categorias de base do clube onde o pai foi ídolo, também é atacante e foi inscrito no Campeonato Paranaense deste ano.

DONATO
Ex-zagueiro e volante
57 anos
Espanha

Donato (Espanha) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Apesar de ter jogado no Vasco, o ex-zagueiro e volante alcançou o estrelato depois que se mandou para o futebol espanhol e é idolatrado até hoje no La Coruña, clube pelo qual foi campeão nacional em 2000 e onde passou as últimas dez temporadas de sua carreira. Donato foi o primeiro negro a jogar pela seleção espanhola e vestiu a camisa 10 na disputa da Euro-1996. Dezessete anos depois da aposentadoria, ele continua vivendo no país que o acolheu e trabalha como representante institucional do La Coruña, uma espécie de embaixador do time, que hoje está na segunda divisão local.

TÚLIO TANAKA
Ex-zagueiro
39 anos
Japão

Túlio Tanaka (Japão) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Nascido no interior de São Paulo, o ex-zagueiro fez toda sua trajetória como profissional no Japão, país para onde se mudou ainda na adolescência, após ganhar uma bolsa de estudos para jogar futebol por um time colegial de ensino médio. Tanaka disputou os Jogos de Atenas-2004 pela seleção olímpica japonesa e também participou da Copa do Mundo-2010. Depois da competição, ele chegou a ter um namoro com o Botafogo, mas permaneceu no Oriente até o fim da carreira. O ex-zagueiro, que chegou a ser eleito o melhor jogador da J-League em 2006, pendurou as chuteiras no fim do ano passado.

PEPE
Zagueiro
37 anos
Portugal

Um dos jogadores mais importantes da seleção portuguesa neste século, o ex-Real Madrid é alagoano de Maceió. Pepe chegou ao futebol lusitano em 2001, quando tinha 18 anos, e foi convocado pela primeira vez seis temporadas mais tarde. No total, Pepe disputou 109 partidas por Portugal, esteve nas últimas três Copas do Mundo e fez parte do elenco campeão europeu de 2016. Apesar de já ter 37 anos, o defensor continua aparecendo nas listas do técnico Fernando Santos. Desde janeiro do ano passado, Pepe está novamente jogando no futebol português e lidera a defesa do Porto, um dos grandes do país.

ALEXANDRE GUIMARÃES
Ex-meia
60 anos
Costa Rica

Alexandre Guimarães (Costa Rica) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Também natural de Maceió, mudou-se para a Costa Rica quando tinha 11 anos devido ao trabalho do pai e lá construiu toda sua carreira no futebol. Na Copa-1990, tornou-se o primeiro brasileiro a enfrentar o Brasil em um Mundial. Em 2002, reencontrou a seleção do seu país-natal em uma Copa, mas já como treinador da equipe costarriquenha. Seu filho Celso Borges seguiu o mesmo caminho e disputou os Mundiais de 2014 e 2018 pelo time centro-americano. Alexandre comanda desde o ano passado o América de Cali, da Colômbia, adversário de Grêmio e Internacional na fase de grupos da Libertadores-2020.

CLAYTON
Ex-lateral esquerdo
46 anos
Tunísia

Clayton (Tunísia) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Contratado em 1995 pelo Étoile du Sahel, clube mais poderoso da Tunísia, já disputou sua primeira Copa do Mundo pela seleção africana apenas três anos depois. Clayton repetiu a dose em 2002 e também fez parte da equipe que foi campeã continental em 2004. Com a maioria da carreira desenvolvida na África, o ex-lateral aposentou-se em 2008 e, logo na sequência, passou a trabalhar como empresário de jogadores. Além de negociar atletas, ele também faz a intermediação de excursões de equipes brasileiras pelo continente africano.

Rafael Reis