PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Mauro Cezar Pereira


Coronavírus para a justiça e adia denúncias pelo incêndio no CT do Flamengo

Torcedores do Flamengo fazem homenagem às vítimas do incêndio no Ninho do Urubu - Alexandre Vidal / Flamengo
Torcedores do Flamengo fazem homenagem às vítimas do incêndio no Ninho do Urubu Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

20/03/2020 04h00

Estava prevista para hoje, 20 de março, a apresentação das denúncias do Ministério Público do Rio de Janeiro contra pessoas como responsáveis pelo incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, que matou dez garotos das divisões de base do futebol do clube. Mas, com a paralisação de vários segmentos da sociedade, entre eles a justiça, não foram indiciados a tempo. Em consequência, não há previsão para que tais medidas sejam tomadas.

"O Estado parou. Prazos processuais e administrativos estão suspensos. O Judiciário e o MP, por resoluções, só estão autorizados a se manifestarem em casos de urgência. Sinceramente, não tenho como dizer quando haverá a apresentação da denúncia enquanto perdurar a situação atual", explica o promotor de Justiça Luiz Antonio Correa Ayres, do GAEDEST (Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor) do MPRJ.

Em circunstâncias normais, mesmo com algum atraso eventual, no máximo até a próxima segunda-feira a denúncia seria encaminhada ao Judiciário. A investigação da polícia civil (42ª DP, Recreio dos Bandeirantes) deu ao Ministério Público do Rio de Janeiro os esclarecimentos solicitados no inquérito que retornou à instituição há poucas semanas. Agora o MP se vê forçado a adiar a apresentação da denúncia apontando possíveis responsáveis pelo incêndio do dia 8 de fevereiro de 2019.

Mauro Cezar Pereira