PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Mauro Cezar Pereira


Luxemburgo se candidata à seleção. Por que não?

Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

17/02/2020 16h24

Vanderlei Luxemburgo lançou sua candidatura à seleção brasileira. Em participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta de São Paulo, horas depois de comandar o Palmeiras na virada (3 a 1) sobre o Mirassol, foi taxativo.

"Eu estou preparado. Não tenho nenhuma dúvida. Se acontecer amanhã de o Tite sair e vier um convite para mim, eu serei um profissional preparado para isso. É diferente de quando você projeta chegar lá. Mas é claro que estou preparado. Se me convidarem, eu vou", disse.

Por que não? Desde que, por alguma razão, Tite saia do cargo, nada mais natural. É fato que Vanderlei Luxemburgo nada fez nos últimos anos para justificar eventual interesse da CBF em sua volta ao cargo que assumiu há quase 22 anos -- o ocupou de agosto de 1998 até setembro de 2000.

Mas os antecessores do atual treinador cebeefiano também não justificavam serem chamados quando a CBF os convidou. Luiz Felipe Scolari assumiu o selecionado em 2013 depois de rebaixar o Palmeiras no ano anterior. Em seu lugar entrou Dunga, que se limitara a uma pálida passagem pelo Internacional entre a Copa do Mundo de 2010, em seu primeiro trabalho como treinador, e o inexplicável retorno após o Mundial de 2014.

Se eles tiveram tais oportunidades sem fazer por onde, por que não dar uma chance a Luxemburgo nas mesmas circunstâncias?

Mauro Cezar Pereira