PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Boca é punido por racismo só com multa e terá torcida contra o Corinthians

Jogadores de Corinthians e Boca discutem durante jogo da Libertadores na Bombonera - Agustin Marcarian/Reuters
Jogadores de Corinthians e Boca discutem durante jogo da Libertadores na Bombonera Imagem: Agustin Marcarian/Reuters
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

25/06/2022 11h42

O Tribunal de Disciplina da Conmebol puniu com multa de US$ 100 mil (R$ 525 mil) o Boca Juniors por atos racistas de seus torcedores na partida contra o Corinthians pela Libertadores no estádio La Bombonera, em 17 de maio. É a primeira punição por racismo do tribunal depois da mudança do regulamento, que prevê também jogar sem torcida ou com a arquibancada parcialmente fechada. Os argentinos, entretanto, se livraram dessa punição e terão torcedores contra o mesmo Corinthians no dia 5 de julho, no jogo de volta das oitavas de final.

A decisão assinada por três dos cinco membros do tribunal diz que o Boca, além da multa, terá que fazer anúncios contra o racismo durante a partida: a partir de duas horas antes do jogo no placar eletrônico do estádio e levar uma faixa na entrada de em campo e durante a formação de protocolo pré-jogo. Nos dois casos será usada a frase "basta de racismo".

Eduardo Gross Brown, presidente do tribunal, Amarilis Belisario, vice, e Cristóbal Valdés escreveram que se houve novos casos de discriminação de torcedores em partidas do Boca Juniors, o clube deverá jogar sem torcedores ou com a Bombonera parcialmente interditada.

O Boca é reincidente em caso de atos racistas nessa Libertadores, por isso a cúpula da Conmebol esperava que o tribunal seria mais duro com o clube. No dia 23 de maio, o tribunal multou o Boca em US$ 30 mil (R$ 140 mil) pelo ato racista de um torcedor no primeiro confronto contra o Corinthians pela fase de grupos da Libertadores, no Neo Química Arena em São Paulo, em 26 de abril — ainda com valor mais baixo porque o jogo ocorreu quando a regra ainda não havia mudado. O homem foi preso, mas pagou fiança e voltou à Argentina.

Foram duas mudanças principais no artigo 17 do Código de Disciplina da Conmebol: aumento da multa mínima de US$ 30 mil (R$ 154 mil) para US$ 100 mil (R$ 470 mil) e a possibilidade de jogar sem torcida ou com parte do estádio fechado. A redação anterior não previa qualquer outra punição além da multa.

O confronto de ida entre Corinthians e Boca pelas oitavas de final será na próxima terça-feira (28), 21h30, no Neo Quimica Arena em São Paulo.