PUBLICIDADE
Topo

Série B - 2019

Ipatinga vence Bragantino fora de casa, interrompe série de 13 derrotas e complica rival

Do UOL, em Belo Horizonte

07/08/2012 22h51

Após vencer o Vitória, no Barradão, na partida anterior, o Bragantino foi surpreendido pelo Ipatinga, que entrou em campo como lanterna, na noite desta terça-feira, no estádio Nabi Abi, e perdeu por 2 a 0, resultado que o deixa sob risco de voltar à zona de risco após o término da 16ª rodada. Já o time do Vale do Aço mineiro, que estreou seu quarto treinador na Série B, conseguiu interromper série de 13 derrotas consecutivas.

A segunda vitória do Ipatinga – a primeira tinha acontecido logo na segunda rodada, por 1 a 0, sobre o ASA –, tirou momentaneamente a equipe mineira da lanterna da Série B. O time ipatinguense foi a sete pontos e superou o Grêmio Barueri, que jogará contra o Ceará, na próxima sexta-feira, às 21h, e poderá voltar a ultrapassar o Ipatinga, com um empate.

O Bragantino, que segue na 16ª posição, com 15 pontos, poderá terminar a rodada na zona da degola. Para isso, basta um empate do ASA, em Arapiraca, contra o Guarani, na próxima sexta-feira, às 21h. A equipe alagoana tem 14 pontos e uma vitória a mais do que o time de Bragança Paulista: quatro a três.

Em sua estreia, o técnico Eugênio Souza, modificou o Ipatinga. O goleiro Helton Leite, filho de João Leite, ex-camisa 1 do Atlético-MG e atualmente deputado estadual, e o atacante Bruno Batata fizeram seus primeiros jogos pela equipe mineira, que voltou a escalar também o meia Wellington Bruno. O novo treinador ipatinguense foi apresentado domingo, dirigiu um único treino, estreou e fez o que não conseguiram Mazola Júnior e Flávio Lopes: pontuar.

Pelo lado do Bragantino, o técnico Marcelo Veiga mexeu apenas no seu sistema defensivo em relação ao time que venceu o vice-líder Vitória, em Salvador, por 1 a 0, interrompendo jejum de oito jogos sem triunfo. Contratados esta semana pelo clube de Bragança Paulista, o zagueiro André Astorga e o volante Gomes não estrearam.

O primeiro tempo começou surpreendentemente equilibrado. E o primeiro lance de perigo, foi criado pelo Ipatinga, aos 8 min, quando Márcio Diogo fez boa jogada e chutou cruzado, no canto direito, obrigando o goleiro Rafael Santos a fazer difícil defesa. Após o susto, o Bragantino partiu para o ataque, pressionando o time visitante e ameaçando o gol defendido por Helton Leite.

Mas o time anfitrião se expôs ao contra-ataque e sofreu o gol, aos 24 min, quando Wellington Bruno tocou para Márcio Diogo, que serviu a Chiquinho. O versátil camisa 11 ipatinguense abancou e, na saída de Rafael Santos, tocou para as redes. Logo em seguida, Chiquinho voltou a criar boa oportunidade, novamente em passe de Márcio Diogo. Dessa vez, no entanto, ele errou o alvo e mandou a bola por cima do travessão.

O Bragantino sentiu o gol sofrido e não conseguia acertar a marcação sobre o Ipatinga, deixando livres Wellington Bruno e Márcio Diogo para criarem uma série de chances para ampliar o marcador. Isso só não aconteceu em função das grandes intervenções do goleiro Rafael Santos, como aconteceu aos 28 min, em chute de Wellington Bruno e, principalmente, aos 31 min, em bola batida por Chiquinho.

Para tentar equilibrar as ações, o técnico Marcelo Veiga não esperou o intervalo para mudar o Bragantino. Ele tirou o volante Acleison e colocou o meia Tchô, jogador revelado pelo Atlético-MG. A substituição, no entanto, não foi suficiente para melhorar o desempenho da equipe da casa. Aos 40 min, em um dos seus raros ataques, Lincom chutou de esquerda, mas mandou a bola para fora. O primeiro tempo terminou com o triunfo parcial do clube do Vale do Aço mineiro.

O estreante Bruno Batata, que chegou ao Ipatinga na última sexta-feira, destacou a qualidade do time do meio para frente. “Na fase que está, temos de matar o jogo o mais rápido possível, porque o jogo está difícil e o time deles também está em fase complicada”, observou o atacante ipatinguense. “Nosso time se desestabilizou após sofrer o gol, mas conversamos no vestiário e sabemos que precisamos fazer em campo”, disse Marcelo Veiga.

E logo no recomeço do segundo tempo, o Bragantino quase empatou o jogo. Em cobrança de falta de Tchô, o goleiro Helton Leite fez boa defesa, evitando o gol do time paulista. Não demorou, no entanto, para o Ipatinga fazer o segundo gol, por meio do estreante Bruno Batata, aos 5 min. Ele chutou duas vezes para colocar a bola nas redes. Em desvantagem, o Bragantino partiu para a pressão, colocando mais atacantes em campo. Hélton Leite fez defesas importantes e o jogo terminou 2 a 0 para os visitantes.

“O time mostrou que tem condições. O grupo estava ferido, saíram jogadores, entraram outros, com sangue novo. Procurei dar confiança para eles, mostrar que o Campeonato começa agora. Sabíamos que seria difícil enfrentar o Bragantino, que vinha de boa vitória fora de casa, mas os jogadores foram aplicados, determinados e conseguiram bela vitória”, observou o técnico Eugênio Souza.

BRAGANTINO 0 X 2 IPATINGA

Bragantino
Rafael Santos; Victor Ferraz, Walter, Preto Costa e Andrezinho (Paulo René); Serginho, Acleisson (Tchô), Moreno e Léo Jaime; Malaquias (Gil) e Lincom
Técnico: Marcelo Veiga

Ipatinga
Helton Leite; Neno, Eron, Tiago Alencar e João Victor; Marcel, Max Carrasco, Wellington Bruno (Leandro Brasília) e Chiquinho; Bruno Batata e Márcio Diogo (Vinícius Kiss)
Técnico: Eugênio Souza

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Data: 7/8/2012 (terça-feira)
Árbitro: Antonio Neuriclaudio Costa
Auxiliares: Rener Santos de Carvalho e Jean Carlos Rodrigues da Silva
Cartões amarelos: João Victor (I), Neno (I), Marcel (I)
Gols: Chiquinho, aos 24 min do primeiro tempo; Bruno Batata, aos 5 min do segundo tempo