PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vettel vê hipocrisia em lutar pelo meio ambiente na F1 e questiona futuro

Vettel tem usado camisetas para promover suas pautas de sustentabilidade - Aston Martin/Divulgação
Vettel tem usado camisetas para promover suas pautas de sustentabilidade Imagem: Aston Martin/Divulgação
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

13/05/2022 08h20

Sebastian Vettel reconheceu que questiona seu futuro na Fórmula 1 não por conta do rendimento ruim de sua equipe, a Aston Martin, neste início de temporada, mas sim pelo impacto negativo de seu esporte no meio ambiente.

Os carros em si da Fórmula 1 são híbridos e caminham para banirem o combustível fóssil de seu motor a combustão em 2026 (atualmente, a mistura contém 10% de biocombustíveis). Mas o grande problema, como apontou o tetracampeão, é o deslocamento de toneladas de equipamentos de um lado a outro, em um calendário que é decidido do ponto de vista comercial e não logístico. As últimas quatro etapas foram disputadas em continentes diferentes: Arábia Saudita na Ásia, Austrália na Oceania, Itália na na Europa e Miami nas Américas.

"É minha paixão pilotar, eu adoro, toda vez que entro no carro eu adoro. Quando saio do carro, é claro que estou pensando 'será que isso é algo que devemos fazer?', viajando pelo mundo, desperdiçando recursos", apontou o alemão.

"Estamos entretendo as pessoas. Durante a pandemia, fomos um dos primeiros a recomeçar. Quando a cabeça de todo mundo estava prestes a explodir, tínhamos as corridas de F1 de volta. Não estou dizendo que a Fórmula 1 tem essa posição enorme no mundo para oferecer entretenimento. [Mas] seja em esportes, cultura, comédia, muitas pessoas que não podiam se apresentar, e muitos sentiram falta disso. Acho que, se não tivéssemos isso, provavelmente enlouqueceríamos. Mas há muitas dessas perguntas que me faço, porque sinto que posso fazer melhor."

Desde a época em que estava na Ferrari, Vettel começou a usar outros meios de transporte que não aviões para ir a corridas mais próximas de onde mora, na Suíça. E no início do ano passado colocou à venda vários carros de sua coleção, admitindo que isso tinha a ver com sua preocupação com o meio ambiente, dentre outros motivos.

O piloto é muito ativo sobre questões ligadas ao meio ambiente e também de injustiças sociais, e vem usando sua imagem para chamar a atenção a várias causas. No entanto, ele se pergunta se é hipocrisia da parte dele falar sobre esses assuntos e continuar rodando o mundo com a F1.

"Há coisas que me pergunto todos os dias. Não sou um santo. Estou muito preocupado com o futuro em relação a esses tópicos como energia, dependência energética e para onde vamos no futuro. Mas há certas coisas que eu posso controlar e outras coisas fora do meu controle."

As declarações foram dadas em um ambiente bastante diferente daquele ao qual Vettel está acostumado. Ele participou de um tradicional programa de debates no Reino Unido, o Question Time, da BBC. Toda semana um painel discute diversos tópicos, com a presença de pelo menos um membro do parlamento.