PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

Último no grid, Hulkenberg é chamado às pressas para o GP de Eifel

Nico Hulkenberg foi chamado de última hora para o treino do GP de Eifel - Peter Fox/Getty Images
Nico Hulkenberg foi chamado de última hora para o treino do GP de Eifel Imagem: Peter Fox/Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

10/10/2020 10h51Atualizada em 10/10/2020 12h04

Nico Hulkenberg viveu uma situação inusitada, hoje (10), horas antes da classificação do GP de Eifel de Fórmula 1, no circuito de Nurburgring, na Alemanha. Ele foi chamado às pressas para participar do treino oficial enquanto se preparava para comentar a prova para uma emissora de TV alemã. A confirmação de que a inscrição dele foi aceita apareceu apenas 48 minutos antes do início da classificação, e ele só conseguiu fazer quatro voltas com o carro antes de ser eliminado logo na primeira parte do classificatório, marcando o último tempo. O alemão foi 0s901 milésimos mais lento que o outro piloto da Racing Point, Sergio Perez.

A convocação da equipe Racing Point foi feita para substituir o canadense Lance Stroll, que se sentiu mal e nem sequer participou dos únicos treinos livres da corrida, hoje pela manhã. As duas sessões de sexta-feira foram canceladas por causa da neblina na região do autódromo.

Hulkenberg se preparava para participar da transmissão da prova por uma emissora de TV na cidade de Colônia, a cerca de 100 quilômetros de distância. Sem muito tempo disponível, chegou ao autódromo, fez o teste para Covid-19 e partiu para o treino classificatório com um carro que não tinha dado nenhuma volta no circuito de Nurburgring neste final de semana, já que a F1 não realizou os treinos de sexta-feira devido à neblina na região, e Stroll já não se sentia bem antes da sessão do sábado pela manhã. Além disso, não houve tempo, por exemplo, de trazer o assento moldado para o alemão, o que deve ser resolvido para a corrida.

"Foi ainda mais louco do que na última vez. Estava em Colônia, que fica a mais ou menos uma hora daqui. Era para eu vir para a pista hoje à tarde, e depois iria fazer coisas para a TV alemã amanhã. Estava tomando café com um amigo às 11h quando o Otmar me ligou dizendo 'preciso de você aqui'. Entrei no carro, vim para cá, e foi isso. Foi meu retorno 2.0, às pressas", explicou.

Usando o capacete de seu tempo de Renault, equipe que defendeu até o final do ano passado, Hulkenberg teve dificuldade no treino classificatório. Ele ficou em último lugar e foi eliminado no Q1. Com o tempo de 1min28s021, ele foi dois décimos de segundo mais lento que o penúltimo colocado, o finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo.

Essa foi a segunda convocação de Hulkenberg pela Racing Point na temporada 2020 da Fórmula 1. Ele já havia sido chamado para substituir o mexicano Sergio Pérez, que foi diagnosticado com Covid-19 e não pôde participar dos GPs da Grã-Bretanha e dos 70 Anos da F1, ambas no circuito de Silverstone, no início de agosto. Porém, naquela ocasião, o chamado aconteceu ainda na quinta-feira à noite. Com isso, ele conseguiu participar normalmente dos treinos livres de sexta-feira e da manhã de sábado, e teve um bom desempenho: colocou o carro em 13º no grid em sua primeira classificação, mas não correu devido a um problema no carro antes mesmo de poder alinhar no grid. Na segunda prova, conseguiu um ótimo sétimo lugar.

"A sensação foi muito diferente em relação a Silverstone. O carro também mudou desde lá. Há algumas coisas técnicas que são muito diferentes e também dão sensações diferentes para o piloto, então tive de me adaptar. Em quatro voltas, não foi algo fácil de fazer. No geral, mesmo estando em último, estou feliz com as voltas que fiz."

De fato, muita coisa mudou no carro da Racing Point desde a última vez em que Hulkenberg andou, em agosto: o time agora está usando o sistema de suspensões e transmissão da Mercedes de 2020 (o time começou a temporada com as peças de 2019) e o carro passou por uma extensa atualização, especialmente com um novo assoalho, que estreou na etapa de Mugello, em meados de setembro.

Apesar de estar "na fogueira" novamente, Hulkenberg pode ter outra oportunidade de mostrar serviço e tentar uma vaga na Fórmula 1 ano que vem. Isso porque, desde que voltou para substituir Perez, ele está na lista de possíveis contratações de times como Haas e Alfa Romeo. Curiosamente, um dos pilotos com os quais disputa diretamente é o mexicano, que acabou dispensado da Racing Point para dar lugar a Sebastian Vettel ano que vem.

O treino classificatório terminou com Vallteri Bottas na frente. O finlandês vai largar na pole position e terá do lado seu companheiro de Mercedes, o inglês Lewis Hamilton. A segunda fila é formada pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull, e pelo monegasco Charles Leclerc, da Ferrari.

Confira o grid de largada para o GP de Eifel:

1º Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) - 1min25s269
2º Lewis Hamilton (ING/Mercedes)
3º Max Verstappen (HOL/Red Bull)
4º Charles Leclerc (MON/Ferrari)
5º Alex Albon - (TAI/Red Bull)
6º Daniel Ricciardo (AUS/Renault)
7º Esteban Ocon (FRA/Renault)
8º Lando Norris (ING/McLaren)
9º Sergio Perez (MEX/Racing Point)
10º Carlos Sainz (ESP/McLaren

Eliminados no Q2
11º Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - 1min26s738
12º Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri) - 1min26s776
13º Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri) - 1min26s848
14º Kevin Magnussen (DIN/Haas) - 1min26s936
15º Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo) - 1min27s125

Eliminados no Q1:
16º Romain Grosjean (FRA/Haas) - 1min27s552
17º George Russell (ING/Williams) - 1min27s564
18º Nicholas Latifi (CAN/Williams) - 1min27s812
19º Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo) - 1min27s817
20º Nico Hulkenberg (ALE/Racing Point) - 1min28s021

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.