PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Rodrigo Hilbert zera percurso e é 2º em ultramaratona de bike

Rodrigo Hilbert e Luiz Parrella na Brasil Ride - Reprodução/Instagram
Rodrigo Hilbert e Luiz Parrella na Brasil Ride Imagem: Reprodução/Instagram
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

08/11/2021 12h53

Rodrigo Hilbert faz, esta semana, sua estreia em uma das provas mais difíceis do ciclismo mountain bike mundial, a Brasil Ride, disputada na Bahia. O ator e apresentador participou ontem (7) da primeira de sete etapas, um prólogo em Porto Seguro (BA) e conquistou a segunda colocação entre oito duplas que competem na categoria Nelore, para atletas de mais de 90 quilos.

"Foram os 20 quilômetros mais duros da minha vida. Com meu parceiro botando um passo (ritmo) na frente foi duro. Teve horas que tive que falar 'Perrella, segura'. Mas foi bom. Uma experiência boa. Uma pista bem técnica, para mim no caso. A gente zerou a pista toda, foi bonito. Deu para acelerar onde tinha que acelerar, e tirar o pé onde tinha que tirar", festejou Hilbert.

O termo "zerar", no ciclismo mountain bike, significa completar a prova sem precisar descer da bicicleta. Hilbert conseguiu, por exemplo, descer um escadão montado na bike. Também passou pedalando pelos trechos mais duros do circuito, que ele e Luiz Perrella completaram em 1h03min50s. Em provas assim, a dupla tenta pedalar junta e vale o tempo do último dos dois ciclistas a cruzar a linha de chegada.

A Brasil Ride é uma competição de mountain bike por etapas, de forma que o resultado final da competição é a soma dos tempos feitos pelos atletas nas sete etapas, que vão até sábado. No geral, após a primeira etapa, Hilbert e Perrella ocupam a 72ª colocação entre 215 duplas, incluindo aí a categoria master, duplas masculinas, femininas e mistas, além da elite, que conta com alguns dos melhores mountain bikers do mundo.

Hilbert, que já havia disputado provas amadoras de ciclismo como a L'Etape Brasil, evento promocional da Volta da França no Brasil, compete na Brasil Ride com apoio de uma das maiores marcas do segmento de bicicletas, a Cannondale. Imagens compartilhadas nas redes socias mostram que não é ele quem conserta a própria bicicleta. A partir de hoje (8) a prova fica mais difícil. A etapa desta segunda tem 132 quilômetros. A largada aconteceu há seis horas e, até pouco antes das 13h, ele e Perrella não haviam completado.