PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brisbane, na Austrália, ganha prioridade para ser sede da Olimpíada de 2032

Brisbane deve ser sede dos Jogos de 2032 - Divulgação/Brisbane
Brisbane deve ser sede dos Jogos de 2032 Imagem: Divulgação/Brisbane
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

24/02/2021 15h58

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou hoje (24), em entrevista coletiva, que a cidade de Brisbane, na Austrália, é a preferida para ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2032. A candidatura foi escolhida por unanimidade pelo Conselho Executivo do COI em reunião realizada mais cedo e vai negociar com exclusividade os detalhes necessários para ser confirmada como sede olímpica. Oficialmente, Brisbane e o Comitê Olímpico Australiano (AOC) foram "convidados para discussões mais detalhadas".

Depois de muitas dificuldades para encontrar países e cidades candidatas a receber os Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno nos últimos anos, o COI resolveu mudar o tradicional formato de escolha. Até recentemente, as cidades apresentavam candidaturas, que passavam por avaliações criteriosas, mas no fim a decisão era tomada a partir de votos dos membros do COI. Esse modelo se transformou em escândalo depois que veio a público que eleitores recebiam dinheiro para escolher uma cidade ou outra.

Paralelamente, populações do mundo todo passaram a rejeitar que suas cidades apresentassem candidaturas, pelo custo não só de organização dos Jogos, mas da campanha em si. Muito dinheiro era desperdiçado com candidaturas derrotadas, que depois não concorriam de novo quatro anos depois.

Agora o COI montou uma comissão independente que mantém diálogo constante com cidades e países interessados nos Jogos. Entre os interessados para 2032 estavam, oficialmente, Mumbai (Índia), Jacarta (Indonésia), Rhine-Ruhr (região de Dortmund e Colônia, na Alemanha) e Madrid (Espanha). Além disso, outras cidades como Budapeste (Hungria), Istambul (Turquia) e principalmente Doha (Qatar) já haviam demonstrado forte interesse.

O COI encontrou, porém, segurança na candidatura de Queensland, uma região da Austrália que já realizou, em 2018, os Jogos da Commonwealth, que reuniram 71 países da comunidade britânica. O evento foi considerado um sucesso e a candidatura para a Olimpíada encontrou forte apoio no governo federal, no governo estadual e também no setor privado, com empresas gestoras de arenas prometendo apoio.

Pelo que foi proposto até aqui, a cidade de Brisbane seria a sede principal da Olimpíada, com 21 instalações, enquanto que Gold Coast e Sunshine Coast teriam, cada uma, outras cinco instalações. Entre 80 e 90% das instalações são existentes ou provisórias, o que deve reduzir de forma significativa o custo dos Jogos.

"A Future Host Commission agora iniciará um diálogo direcionado com o Comitê de Brisbane 2032 e o AOC, e apresentará um relatório ao Cosselho Executivo do COI sobre o resultado dessas discussões no momento oportuno. Se todos os requisitos forem atendidos, o Conselho Executivo do COI pode propor a eleição do futuro anfitrião dos Jogos de 2032 para uma sessão do COI", informou o comitê, sem dar prazos.

A se confirmar a Austrália como sede em 2032, os Jogos Olímpicos passarão por quatro continentes em sequência: Ásia (Tóquio), Europa (Paris), América do Norte (Los Angeles) e Oceania (Queensland). Caso os diálogos não prosperem, o COI voltará a considerar as outras cidades que demonstraram interesses, que podem continuar conversando com a comissão para que suas candidaturas sejam aproveitadas em outros pleitos.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do que foi informado, os Jogos Olímpicos passarão por quatro continentes em sequência, não cinco. O erro foi corrigido.
Diferentemente do que havia sido publicado, a capital da Austrália é Camberra, e não Brisbane. O texto foi alterado.