PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

NOTÍCIA

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Benite é melhor jogador e campeão mundial de clubes de basquete

Vitor Benite, MPV da Copa Intercontinental - Divulgação/Fiba
Vitor Benite, MPV da Copa Intercontinental Imagem: Divulgação/Fiba
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

06/02/2021 20h41

O ala/armador Vitor Benite fez história neste sábado (6) ao ser eleito o jogador mais valioso (MVP) da final da Copa Intercontinental, o campeonato mundial de clubes de basquete. Ele foi o destaque do time espanhol San Pablo Burgos no duelo contra o Quimsa, da Argentina, em Buenos Aires, e faturou o bicampeonato mundial. Antes, em 2014, ele venceu com o Flamengo.

A Copa Intercontinental tem o mesmo formato do torneio de mesmo nome que, no futebol, reunia o campeão da Libertadores e o vencedor da Liga dos Campeões. No basquete a competição também tem o peso de um campeonato mundial, ainda que não reúnas as equipes da NBA, potencialmente as melhores do mundo, que não jogam a competição continental da América, classificatória para o Intercontinental.

Benite, que é o capitão do time de Burgos, ao norte de Madri, já havia se destacado na campanha do título da Champions League da Europa, anotou 19 pontos no jogo deste sábado à noite, acertando cinco de oito bolas de três. O San Pablo venceu por por 82 a 73 na casa do rival.

Essa é a segunda vez seguida que um brasileiro é o MVP do Intercontinental. No ano passado, o melhor jogador foi Marcelinho Huertas, armador do Iberostar Tenerife. O Brasil já foi campeão em 1965, com o Corinthians, em 1979, com o Sirio, e em 2014 com o Flamengo.

O Flamengo chegou até a final da Champions League America na última temporada, que terminou em outubro por causa da pandemia, perdendo a decisão para o Quimsa. Antes do jogo único da Copa Intercontinental, hoje, o Quimsa jogou terça contra o São Paulo, já pela edição 2021, e perdeu por 75 a 72.