PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Fla x Flu pode dar primeiro título a Bernardinho no Flamengo

Bernardinho, técnico do Flamengo - Paula Reis/CRF
Bernardinho, técnico do Flamengo Imagem: Paula Reis/CRF
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

19/10/2020 12h06

O técnico Bernardinho pode conquistar hoje (19) à noite o seu primeiro título pelo Flamengo. A equipe carioca, que no início da temporada se fundiu com o Sesc-RJ, decide logo mais o Campeonato Carioca contra o Fluminense. A partida acontece a partir das 21h30, no ginásio Hélio Maurício, na Gávea, sem a presença de público.

O campeonato conta a com participação de apenas três equipes. O Tijuca, que tem uma equipe sub-20 e não disputa competições nacionais, o Fluminense, que terminou em sétimo na Superliga passada, e o novo Sesc-RJ/Flamengo. Disputado em triangular, o Carioca teve vitórias fáceis de Flamengo e Fluminense sobre o Tijuca antes do Fla x Flu decisivo de logo mais.

Como na fusão o CNPJ mantido foi o do "Rio de Janeiro Vôlei Clube", equipe de Bernardinho, o clube vai buscar o seu 16º título na competição. O time, que já teve vários nomes, venceu em 1999, quando tinha sede em Curitiba e jogava como convidado, e depois quase consecutivamente desde 2004. A exceção foi em 2016, quando perdeu exatamente para o Fluminense.

"É um jogo que sempre tem muita rivalidade. É sempre muito intenso, desde o mirim até o adulto. E tem a disputa de um título em jogo. Não importa se o campeonato é curto. Título é título e não se negocia. Sempre será importante. Sem dúvida essa conquista vai nos ajudar, vai nos motivar, nos dar mais confiança", comentou a central Roberta.

Outros estaduais

O momento é de definição dos Campeonatos Estaduais de vôlei. Na sexta, em Taubaté, o Vôlei Renata, de Campinas, encerrou uma sequência de seis títulos estaduais seguidos do EMS/Taubaté/Funvic a faturou o Campeonato Paulista em cima do rival, com vitória por 3 sets a 1. O Vôlei Renata já havia vencido a partida de ida por 3 a 2.

A taça é a primeira conquistada pelo projeto de Campinas, que é liderado, entre outros, pelos campões olímpicos Maurício Lima e André Heller. Desde 2010, a equipe havia ficado sempre entre os três primeiros do Paulista, com quatro vice-campeonatos, mas nunca havia subido ao lugar mais alto do pódio.

Em Minas não houve espaço para zebra. No sábado, o Sada/Cruzeiro faturou seu 11º título consecutivo do Campeonato Mineiro, vencendo o Minas Tênis Clube por 3 sets a 1 na casa do rival. Pelo lado do Minas TC, este foi o 13º vice seguido. O terceiro lugar do campeonato ficou com o Uberlândia, que deu trabalho ao Cruzeiro na semifinal (perdeu de 3 a 2) e venceu o Montes Claros/América Vôlei na disputa pelo bronze. As quatro equipes jogam a Superliga.

Para encerrar essa fase da temporada, de Campeonatos Estaduais, o Paulista Feminino será decidido na terça, em Bauru. Na partida de ida, o Osasco/Audax fez 3 sets a 2 no Sesi/Bauru em casa. Se o Sesi vencer a volta, a competição será decidida em um set extra. O Osasco vai atrás do seu 14º título, depois de dois vice-campeonatos. O Sesi/Bauru quer a segunda taça. Campeão ano passado, o São Paulo/Barueri foi eliminado pelo Osasco na semifinal.