PUBLICIDADE
Topo

Suspeita de casos de Covid faz time espanhol ser eliminado de Liga Europa

Leonardo "Ferrugem", goleiro brasileiro de handebol - Reprodução/Facebook
Leonardo "Ferrugem", goleiro brasileiro de handebol Imagem: Reprodução/Facebook
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

30/09/2020 13h03

A suspeita de que jogadores do Benidorm Handball Club fez com que a equipe espanhola fosse eliminada da Liga Europa de Handebol Masculino. O time do goleiro brasileiro Ferrugem foi proibido pelas autoridades sanitárias da Espanha de viajar até a Áustria e enfrentar o Fivers e, por isso, sofreu W.O., sendo eliminado da competição.

De acordo com o jornal espanhol El Mundo, a confusão começou quando, na quinta-feira da semana passada, o Benidorm, de Alicante, viajou para Huesca para uma partida da Liga Asobal, o Campeonato Espanhol. Em Huesca, o clube recebeu o resultado de testes PCR feitos na véspera, que apontaram seis casos positivos.

A partida foi adiada e o elenco do Benidorm foi submetido a novos testes, desta vez sorológicos, que deram negativo. De volta a Alicante, após viajem de carro, os jogadores foram testados uma terceira vez, novamente com os PCR. E todos os resultados deram novamente negativo. Mesmo assim, o Ministério da Saúde da Espanha exigiu o cumprimento do protocolo, que aponta exigência de quarentena de 10 dias.

"Nós nos oferecemos para fazer um terceiro PCR em toda a equipe e por escrito eles nos disseram que não. Eles se apegam à quarentena do protocolo quando há um resultado positivo e não querem entender que os testes dizem que não temos nenhum resultado positivo e, portanto, não poderia ter havido infecções ", reclama o presidente do clube, Javier Abinzano.

Mas a federação europeia de handebol, organizadora da Liga Europa, não tem nenhum protocolo para casos assim. Por isso, uma vez que o Benidorm não viajou a Viena, o comitê de competições considerou que houve um W.O. no jogo de volta do duelo, o que causou a eliminação do time espanhol.

O clube já anunciou que vai recorrer da decisão através da Federação Espanhola de Handebol, por considerar que há datas para adiar o jogo. "Em situações excepcionais, são necessárias posturas excepcionais, mas até agora não foi esse o caso", comentou o clube.