PUBLICIDADE
Topo

Bronze na Rio-2016, Maicon Siqueira está fora de Tóquio-2020

Maicon Andrade comemora conquista da medalha de bronze no taekwondo das Olimpíadas do Rio - AP Photo/Marcio Jose Sanchez
Maicon Andrade comemora conquista da medalha de bronze no taekwondo das Olimpíadas do Rio Imagem: AP Photo/Marcio Jose Sanchez
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/01/2020 18h06

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, Maicon Siqueira está fora da Olimpíada de Tóquio, este ano. O mineiro de 27 anos não foi convocado para a disputa do Qualificatório Olímpico Pan-Americanos que será realizado em Heredia, na Costa Rica, em março. A lista foi divulgada na tarde desta segunda-feira (13) pela Confederação Brasileira de Taekwondo.

A comissão técnica da seleção estava em uma sinuca de bico e argumentou que utilizou critérios técnicos, previamente definidos, para escolher os dois homens e as duas mulheres que lutarão o Pré-Olímpico, cota máxima para cada país. O problema é que só no Mundial do ano passado cinco brasileiros foram ao pódio, incluindo Maicon, que foi bronze.

O Brasil até poderia levar mais atletas à Olimpíada, desde que os classificassem entre os seis melhores de cada uma das quatro categorias olímpicas, o que não aconteceu. Assim, as vagas terão que ser buscadas pelo Pré-Olímpico regional, que vai dar duas vagas por categoria.

No feminino a comissão técnica optou por convocar Talisca Reis (até 49kg), prata no Pan de Lima, e Milena Titonelli, ouro no Pan e bronze no Mundial do ano passado na categoria até 67kg. Caroline Gomes, prata no Mundial na categoria até 62 kg, que não é olímpica, foi preterida por Milena, melhor posicionada no ranking.

No masculino foram escolhidos Edival Pontes, o Netinho, campeão do Pan, na categoria até 68kg, e Ícaro Miguel, da até 80kg, que foi prata tanto no Pan quanto no Mundial. Também foi deixado de fora, entre outros, Paulo Ricardo Melo, o Paulinho, que foi bronze no Mundial.

"Foi um processo árduo, com informações e resultados apurados, em virtude da qualidade que o taekwondo brasileiro se encontra. A comissão técnica, formada pelos treinadores e consultor internacional, seguiu os critérios divulgados anteriormente, analisando as performances, possibilidades e cenário internacional de todos os atletas", comentou Natália Falavigna, medalhista olímpica, que agora é coordenadora da seleção.

Em busca de pontos no ranking olímpico, Maicon chegou a recusar a convocação para os Jogos Mundiais Militares, abrindo mão por consequência de sua relação com a Marinha e do soldo. Ele, Ícaro e Netinho terminaram no nono lugar do ranking olímpico de suas respectivas categorias. A lista fechou em dezembro.