PUBLICIDADE
Topo

Mercado da Bola

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com volta ao Brasil em pauta, Talisca pede para deixar a China

Talisca tem contrato com o Guangzhou Evergrande até junho de 2022 - GettyImages
Talisca tem contrato com o Guangzhou Evergrande até junho de 2022 Imagem: GettyImages
Bruno Andrade

Mora em Lisboa desde 2015. Começou a carreira no LANCE! e depois virou correspondente internacional da Goal.com. Atualmente, trabalha também no jornal A BOLA e na TVI, ambos de Portugal - esteve antes no jornal O JOGO e Canal 11.

Colunista do UOL

11/05/2021 12h35

Anderson Talisca quer deixar o futebol chinês. Depois de três temporadas no Guangzhou Evergrande, o meia-atacante pediu ao seu representante oficial para buscar um novo destino a partir do segundo semestre, preferencialmente no Brasil.

No Brasil desde o ano passado (entre Salvador e Rio de Janeiro), visto que não conseguiu voltar à China por causa da pandemia da Covid-19, Talisca tem ainda contrato até junho de 2022 e, por isso, uma negociação neste momento tem diversos obstáculos.

Aos 27 anos, o ex-jogador de Bahia, Benfica e Besiktas recebe cerca de 7 milhões de euros (R$ 44 milhões) por temporada, um valor muito acima da realidade brasileira. Se eventualmente renovar o vínculo com os chineses, o montante não pode ultrapassar a casa dos 3 milhões de euros (R$ 19 milhões) por temporada - novo teto salarial para estrangeiros imposto pela Federação Chinesa de Futebol (CFA).

Com o aval de Anderson Talisca, os empresários Carlos Leite (agente do jogador) e Joseph Lee (representante do Guangzhou Evergrande), em conjunto, estão desde o mês passado no mercado agendando conversas com eventuais interessados. O Flamengo já foi um dos procurados, mostrou interesse, mas, a princípio, não houve qualquer avanço nas conversas. Atlético-MG e Palmeiras também estão na mira.