PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Flamengo pega o grupo mais difícil da Libertadores; Inter e Galo se dão bem

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

09/04/2021 14h00

Foram sorteados nesta sexta-feira os grupos da Copa Libertadores da América. Os dois times cariocas no torneio, Flamengo e Fluminense, foram os brasileiros que pegaram as chaves mais chatinhas. Internacional e Atlético-MG só têm motivos para sorrir.

Os três clubes paulistas, Palmeiras, São Paulo e Santos, mais o Grêmio pegaram chaves que não são as mais difíceis nem as mais fáceis. Têm todas as condições para passar (o Grêmio ainda tem que chegar lá).

O Flamengo jogará contra LDU (EQU), Vélez Sarsfield (ARG) e La Calera (CHI). Eram três dos times mais chatos de cada um dos potes subsequentes. A LDU tem um bom time e tem a altitude a seu lado. O Vélez não é nenhum bicho papão, mas tem bons jogadores e é bem treinado. O La Calera joga em gramado artificial, tem um estilo bem marcado de posse de bola e foi buscar um técnico "bielsista" para substituir outro. É óbvio que o Flamengo é o destacado favorito do grupo, mas nenhum dos jogos é moleza.

O Fluminense, que estava no pote 3, acabou em um grupo com o River Plate, um dos favoritos ao título, e com duas viagens longas. Vai à Colômbia enfrentar o Santa Fé na altitude de Bogotá e ainda pode ter de jogar na altitude contra o Bolívar (que está disputando eliminatória com outro colombiano, o Junior Barranquilla).

Os brasileiros que se deram bem foram Inter e Atlético-MG. Ambos caíram nos grupos encabeçados por paraguaios, que não assustam, e ainda enfrentam adversários fracos dos potes 3 e 4 (ver os grupos abaixo). Devem passar sem susto algum para as oitavas de final. O São Paulo tem pela frente o Racing, mas também é um grupo tranquilo.

O Grêmio, se passar pelo Del Valle na Pré-Libertadores (jogo de ida hoje), cairá no grupo do Palmeiras. E os dois brasileiros serão automaticamente favoritos a avançar, com o Defensa y Justicia argentino como terceira força.

O Santos, se confirmar a classificação contra o San Lorenzo, estará no grupo do Boca Juniors. Mas, da mesma maneira, os outros dois rivais do grupo não assustam (o Barcelona de Guayaquil tem um time fraco e o The Strongest, da Bolívia, só é forte na altitude).

Grupo A
Palmeiras (BRA)
Defensa y Justicia (ARG)
Universitario (PER)
Grêmio (BRA) ou Independiente del Valle (EQU)

Grupo B
Olimpia (PAR)
Internacional (BRA)
Táchira (VEN)
Always Ready (BOL)

Grupo C
Boca Juniors (ARG)
Barcelona (EQU)
The Strongest (BOL)
Santos (BRA) ou San Lorenzo (ARG)

Grupo D
River Plate (ARG)
Independiente Santa Fé (COL)
Fluminense (BRA)
Bolívar (BOL) ou Junior Barranquilla (COL)

Grupo E
São Paulo (BRA)
Racing (ARG)
Sporting Cristal (PER)
Rentistas (URU)

Grupo F
Nacional (URU)
Univ. Católica (CHI)
Argentinos Juniors (ARG)
Libertad (PAR) ou Atletico Nacional (COL)

Grupo G
Flamengo (BRA)
LDU (EQU)
Vélez Sarsfield (ARG)
La Calera (CHI)

Grupo H
Cerro Porteño (PAR)
Atlético-MG (BRA)
América de Cali (COL)
La Guaira (VEN)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL