PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Palmeiras é o grande sortudo na Libertadores; Inter paga o preço

Eduardo Coudet deve estar preocupado com o caminho do Inter na Libertadores - Pedro H. Tesch/AGIF
Eduardo Coudet deve estar preocupado com o caminho do Inter na Libertadores Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

23/10/2020 12h52

O Palmeiras foi o clube brasileiro que se deu melhor no sorteio que definiu as oitavas de final e o chaveamento da Copa Libertadores da América.

Além de enfrentar o Delfín equatoriano nas oitavas, um dos rivais mais tranquilos entre os que poderiam pegar, o chaveamento deixou no caminho palmeirense, nas quartas, o vencedor do duelo mais fraco de todos nas oitavas: Jorge Wilstermann (BOL) ou Libertad (PAR).

O time boliviano era o mais fraco entre os primeiros colocados de grupo, e o paraguaio possivelmente o mais fraco entre os segundos. O caminho do Palmeiras está muito aberto até a semifinal.

Na semi, o Palmeiras enfrentaria provavelmente ou o River Plate ou o Independiente del Valle (EQU), que são favoritos contra Athlético-PR e Nacional-URU, respectivamente. Del Valle x Nacional é o duelo do novo, um time com um grande técnico e muita bola, e a tradição do Nacional, que está sem técnico.

O Athlético, que já não te mostrado muita coisa no Brasileirão, é teoricamente presa fácil para o River, um dos grandes candidatos ao título.

O outro lado da chave está bem mais complicado. O Internacional foi o azarado do sorteio, mas acabou fazendo por merecer. Afinal, ficou em segundo no grupo e ontem, na última rodada, teve a chance de ser primeiro (acabou poupando jogadores e perdendo o jogo para a já eliminada Católica, do Chile).

O Inter enfrenta logo de cara o Boca Juniors, nas oitavas de final. Se passar, vai enfrentar nas quartas ou o Flamengo, atual campeão e melhor time do continente, ou o Racing, da Argentina, uma agremiação com muita tradição e que, se chegar lá, é porque terá passado pelo Flamengo antes.

O Inter pode ganhar do Boca? Pode sim. É um duelo equilibrado e Coudet tem a vantagem de conhecer muito bem o adversário. Não estou aqui falando que o Inter já está condenado na Libertadores. Apenas que tem um caminho muito, muito difícil até a semifinal.

Deste quadrante, quem chegar às semifinais terá do outro lado quem sair de Grêmio x Guaraní-PAR e LDU x Santos. O Grêmio tem um confronto em que é favorito, mas o Santos enfrenta um time bastante perigoso.

A LDU tem jogado bem após a pandemia. Classificou-se em um grupo que tinha River e São Paulo e acaba de ser campeã do turno no Equador, garantindo-se na final do campeonato local e já na Libertadores do ano que vem. O Santos precisa tentar sobreviver na altitude, na ida, e chegar vivo para a volta.

Palmeiras e Grêmio são os brasileiros que podem respirar aliviados após o sorteio desta sexta. Flamengo e Santos não pegaram nem o mais fácil nem o mais difícil. Inter e Athlético se deram mal.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL