PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Copa do Nordeste aposta em site gamer e quebra tradição de futebol na TV

Torcedor do Bahia pôde acompanhar à goleada de sua equipe em cima do Sport na Twitch - Jhony Pinho/AGIF
Torcedor do Bahia pôde acompanhar à goleada de sua equipe em cima do Sport na Twitch Imagem: Jhony Pinho/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

22/03/2021 10h30

Em meio às mudanças no mundo dos direitos de transmissão, a Copa do Nordeste faz uma tentativa que sai da rotina do futebol na TV. A competição aposta em aumentar o seu público colocando os jogos para serem transmitidos na Twitch, uma plataforma gamer que cresce a cada dia.

A ideia sai totalmente do script que estamos acostumados a ver em transmissões na televisão. Cada time ganhou um canal específico no site e conta com ao menos um influenciador que faz o papel de âncora. Sem a intenção de imparcialidade, eles vestem a camisa do time e soltam até palavrões vez ou outra em um evento que conta com ampla interação com o torcedor.

Com qualidade de imagem igual a de uma televisão em caso de boa conexão com a internet, o torcedor vê a partida como se estivesse em uma arquibancada virtual. E aí não há padrões entre os influenciadores. Eles retransmitem toda a produção que é feita para o pay-per-view tradicional (distribuído em operadoras de canais a cabo) e podem optar por fazer mudanças, como tirar a narração original, colocar músicas e hinos, colocar convidados para fazer comentários e até fazer sorteios durante o jogo.

O modelo não é tanta novidade para o público jovem que acompanha o mundo dos jogos virtuais, mas ainda quebra paradigmas no futebol. O estilo é semelhante ao que já fazem os streamers justamente na Twitch, como Gaules, por exemplo, que é referência na transmissão de campeonatos de Counter Strike, jogo de tiro em primeira pessoa.

Para assistir ao jogo, o torcedor também precisa assinar, mas conta com pacotes mais econômicos se comparados com o pay-per-view tradicional. O menor valor é o de R$ 9,90. Como alternativa, os torcedores ainda podem assistir a determinados jogos no SBT do Nordeste ou na FOX, que tem direito a um jogo exclusivo por rodada no acordo com a LiveMode, detentora dos direitos. Há ainda o NordesteFC, serviço de assinatura próprio do torneio.

Como o canal é específico para o time e não tem outros programas na grade da transmissão, a vantagem é que o torcedor já acompanha a um programa pré-jogo que começa uma hora antes de a bola rolar e depois também fica com os influenciadores para os comentários pós-jogo.

A Amazon, dona da Twitch, já sinalizou que tem interesse em ter cada vez mais conteúdo deste tipo em sua plataforma. Em dezembro, houve a transmissão de Palmeiras x Corinthians na final da Copa Paulista sub-20. O site já transmitiu também algumas partidas específicas do Athletico durante o embate da Lei do Mandante no início deste ano.

A tentativa é mais uma mostra do caminho que pode tomar o direito de transmissão de um campeonato daqui para frente. Com a Globo disposta a pagar cada vez menos, os times sonham com seus canais próprios, mas ainda não têm a completa ideia da estrutura necessária para uma produção de alta qualidade. A FlaTV+, por exemplo, criou um site próprio e enfrenta diversos problemas a cada rodada.