PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que seleção sub-18 viajou para Pernambuco em meio à pandemia?

Seleção Brasileira sub-18 em jogo-treino com a equipe sub-20 do Retrô FC, em Recife - Caio Falcão/CBF
Seleção Brasileira sub-18 em jogo-treino com a equipe sub-20 do Retrô FC, em Recife Imagem: Caio Falcão/CBF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

18/03/2021 04h00

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) confirmou ontem (17) que um surto de covid-19 atingiu alguns de seus funcionários que viajaram para Pernambuco na primeira semana de março, sendo o coordenador de base e lateral do tetra de 1994, Branco, o que inspira mais cuidados. Ele, inclusive, está sendo tratado em um hospital. Mas, afinal, por que a seleção sub-18 fez a delegação viajar em plena pandemia para atuar fora de casa e não aproveitou suas próprias instalações na Granja Comary, em Teresópolis?

De acordo com as explicações da CBF, a excursão serviu para que a seleção de jovens conhecesse as instalações do Retrô, time que foi fundado em 2016 e conta com o apoio de um empresário que construiu um CT considerado como uma das melhores estruturas do país. Com investimento superior a R$ 30 milhões, a equipe já está na elite do Estadual pelo segundo ano consecutivo e joga sua primeira Copa do Brasil esta temporada.

O CT do Retrô já tinha chamado a atenção da CBF anteriormente e só não entrou na rota do time principal pela sua localização ser mais afastado. Por lá, o time conseguiria se concentrar, treinar e fazer os jogos-treino. Na ocasião, não houve cobrança de aluguel para o uso das instalações. Não há competição prevista, mas a entidade entende que os treinos servem para observação mais de perto dos convocados.

Além de enfrentar os donos da casa em um amistoso que terminou em 7 a 1 para a seleção, a agenda previa um encontro com o Santa Cruz que acabou cancelado justamente pelo protocolo de covid-19 usado pela equipe pernambucana.

Na ocasião, a CBF não concordou que o Santa Cruz fizesse apenas teste rápidos em seus atletas e exigiu o RT-PCR, que acabou inviabilizando o duelo. Em novembro, também por conta do protocolo contra a doença a seleção cancelou uma semana de treinos do sub-17 por conta de surto entre os atletas.

A questão é que o regime adotado pela seleção não foi de uma bolha 100%, a exemplo do que acontece na NBA, um dos poucos modelos no esporte que se mostrou altamente efetivo no combate aos surtos.

Além de Branco, o técnico do sub-18, Dudu Patetuci, o auxiliar técnico Igor Cotrim, o fisiologista Sandro Graham, e o assessor de imprensa Bruno Pacheco também testaram positivo para covid-19. Eles estão isolados e sendo observados. Os atletas Weverton e Stênio, do Cruzeiro, foram diagnosticados assim que retornaram a Belo Horizonte.