PUBLICIDADE
Topo

Ipespe: Lula lidera com 43%; Bolsonaro tem 26%; Moro, 8%; e Ciro, 7%

Da esquerda para a direita, o ex-presidente Lula, o presidnete Jair Bolsonaro e os ex-ministros Ciro Gomes e Sergio Moro - Reprodução, Cleber Clauber Caetano/PR, Lucas Lima/UOL e Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
Da esquerda para a direita, o ex-presidente Lula, o presidnete Jair Bolsonaro e os ex-ministros Ciro Gomes e Sergio Moro Imagem: Reprodução, Cleber Clauber Caetano/PR, Lucas Lima/UOL e Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

25/02/2022 12h03Atualizada em 25/02/2022 14h51

Pesquisa Ipespe, contratada pela XP Investimentos e divulgada hoje, mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua na liderança da corrida presidencial, com 43% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição, aparece em segundo lugar, com 26%.

Na sequência, vêm os ex-ministros Sergio Moro (Podemos), com 8%, e Ciro Gomes (PDT), com 7%, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%, todos tecnicamente empatados dentro da margem de erro, que é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em comparação com levantamento anterior, divulgado em 11 de fevereiro, Lula manteve o percentual (43%) na pesquisa de intenção de voto estimulada, quando o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado. Já Bolsonaro oscilou um ponto para cima (portanto, dentro da margem de erro) — na ocasião, ele aparecia com 25%.

O cenário testado, porém, é diferente daquele divulgado há duas semanas. Agora, o nome do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), aparece, e o do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), não.

Derrotado por Doria nas prévias tucanas, Leite admitiu manter conversas com o PSD, partido dirigido por Gilberto Kassab, pelo qual cortejado para entrar na corrida eleitoral de outubro. Já Pacheco avalia desistir da corrida presidencial e focar na eleição para o comando do Senado em fevereiro de 2023.

Em relação à pesquisa anterior, Moro e Doria mantiveram o mesmo percentual (8% e 3%, respectivamente) e Ciro oscilou um ponto para baixo. O governador paulista empata, dentro da margem de erro, com a senadora Simone Tebet (MDB), o governador Leite, o deputado federal André Janones (Avante) e Luiz Felipe D´Ávila (Novo), que têm 1% cada.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) foi citado por entrevistados, mas não chegou a 1%. Brancos e nulos somam 7%, e não sabem, 2%.

A pesquisa foi realizada no período de 21 a 23 de fevereiro e entrevistou mil pessoas de 16 anos ou mais em todas as regiões do país, por telefone. O intervalo de confiança é de 95,5%. Os percentuais que não totalizam 100% são decorrentes de arredondamento ou de múltiplas alternativas de resposta. O levantamento foi registrado junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o protocolo BR-05015/2022.

Primeiro turno

Veja abaixo o cenário de 1º turno testado pela pesquisa (estimulada):

  • Lula (PT): 43%
  • Bolsonaro (PL): 26%
  • Moro (Podemos): 8%
  • Ciro (PDT): 7%
  • Doria (PSDB): 3%
  • Tebet (MDB): 1%
  • Leite (PSDB): 1%
  • Janones (Avante): 1%
  • D´Ávila (Novo): 1%
  • Vieira (Cidadania): 0%
  • Nenhum/não iria votar/branco/nulo: 7%
  • Não sabe/não respondeu: 2%

Segundo turno

A pesquisa Ipespe também fez a simulação de cenários para o segundo turno. Lula sai vencedor em todos em que é citado. Contra Bolsonaro, o petista teria 54% dos votos contra 32% do adversário. Em relação ao levantamento anterior, Lula manteve o mesmo percentual e Bolsonaro oscilou um ponto para cima.

Já num eventual segundo turno, Bolsonaro perderia para Ciro e empataria tecnicamente com Doria, Leite e Moro, conforme a sondagem.

Veja abaixo os cenários de segundo turno testados:

  • Lula x Bolsonaro: 54% a 32%
  • Lula x Moro: 52% a 31%
  • Lula x Ciro: 51% a 25%
  • Lula x Doria: 54% a 18%
  • Ciro x Bolsonaro: 47% a 35%
  • Doria x Bolsonaro: 39% a 36%
  • Moro x Bolsonaro: 33% a 32%
  • Lula x Leite: 55% a 17%
  • Bolsonaro x Leite: 39% a 35%

Avaliação do governo

Conforme a sondagem, 53% dos entrevistados avaliaram o governo Bolsonaro como ruim ou péssimo, contra 25% que o avaliam como bom ou ótimo. Aqueles que avaliam o governo regular são 21%.

Em comparação com a pesquisa anterior, esses números oscilaram dentro da margem de erro (eram de 54%, 24% e 20%, respectivamente).

Já a desaprovação do governo foi de 63%, contra 31% que aprovaram e 6% que não souberam responder. No levantamento feito há duas semanas, esses números eram 64%, 31% e 5%, respectivamente.

O Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) é uma empresa de pesquisas fundada em 1986 e com sede no Recife. O instituto geralmente faz pesquisas eleitorais por telefone. Operadores ligam para eleitores selecionados conforme a distribuição de todo eleitorado brasileiro e os questionam sobre suas preferências eleitorais.